Setor de serviços registra novo recuo na Bahia, mostra IBGE

A principal influência negativa para o resultado geral veio dos transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (Foto: Jefferson Peixoto/Secom)

O volume do setor de serviços na Bahia seguiu em queda, em novembro, na comparação com o mês anterior (-0,3%), na série com ajuste sazonal, mostrando um terceiro resultado negativo consecutivo (havia recuado 1,3% entre agosto e setembro, e 2,8% entre setembro e outubro). Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE. Com o resultado negativo na comparação com o mês anterior, o volume de serviços prestados na Bahia segue abaixo do registrado antes da pandemia da Covid-19 (-3,9% frente a fevereiro de 2020). No Brasil como um todo, em novembro, o setor de serviços estava 4,5% acima do nível pré-pandemia.

Além da queda frente a outubro/21, na comparação com novembro de 2020, os serviços na Bahia apresentaram a primeira retração (-0,3%), após sete resultados positivos consecutivos, em uma sequência que havia se iniciado em abril.

No acumulado de janeiro a novembro de 2021, frente ao mesmo período de 2020, os serviços baianos seguiram em alta (10,1%) pelo sétimo mês consecutivo. A taxa, porém, é inferior à do país como um todo (10,9%), sendo apenas 18ª  entre as 27 unidades da Federação. Todos os estados continuaram avançando nesse indicador.

No acumulado em 12 meses, o setor de serviços baiano apresentou crescimento de 8,9% em novembro, o quinto resultado positivo consecutivo. Também ficou um pouco abaixo do nacional (9,5%), sendo apenas o 19o melhor entre os 27 estados. Nesse confronto, o setor também cresceu em todas as unidades da Federação.

Quedas nos transportes

A queda do volume de serviços prestados na Bahia em novembro/21 frente a novembro/20 (-0,3%) foi resultado de retrações em dois dos cinco grupos de atividades investigados pelo IBGE.

A principal influência negativa para o resultado geral de novembro veio dos transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-11,0%), que apresentaram a sua segunda queda consecutiva. Este é o segmento de maior peso na estrutura do setor de serviços no estado.

Além dele, também apresentou retração o segmento de outros serviços (-28,5%), grupo de atividade bastante diverso, que também apresentou, em novembro, a sua segunda queda seguida. Este é o único setor que tem variação negativa no acumulado no ano de 2021 (-4,1%), na Bahia.

Por outro lado, os serviços prestados às famílias (55,4%) foram os que mais ajudaram a segurar a queda do setor de serviços baiano em novembro. O segmento apresentou o seu oitavo crescimento consecutivo, embora em um ritmo inferior ao dos últimos meses (em outubro a alta havia sido de 74,4%). Esse crescimento, também, se deu sobre a queda registrada em novembro de 2020 frente ao mesmo mês de 2019 (-22,0%).

Também apresentaram resultados positivos em novembro, mas em menor intensidade, os serviços profissionais, administrativos e complementares (1,6%, nono aumento consecutivo) e os serviços de informação e comunicação (0,7%, oitavo aumento consecutivo).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezoito − 13 =