Já está em atividade o novo Centro de Operações Integradas (COI) da Neoenergia Coelba, que centraliza o atendimento técnico da empresa no estado, garantindo o mesmo padrão de serviço a todas as ocorrências geradas. Além da integração operacional, o COI traz mais tecnologia para o monitoramento da rede elétrica e eficiência de atendimento aos clientes. O investimento de R$ 6 milhões permitiu reunir em 770m² tecnologia de ponta utilizada em grandes metrópoles, agora, a serviço dos baianos.

Um dos avanços do novo COI está no sistema unificado, que permite avaliação em tempo real da rede elétrica que corta o estado, e que está projetada em vídeo wall de 14×2 m², e mais 28 monitores de 55’ polegadas, no último andar de um dos edifícios sede da Neoenergia Coelba, em Salvador. Para apoio no monitoramento, a companhia modernizou, também, seu modelo de atuação em campo, que conta com uma nova divisão territorial, a partir de localidades. São 45 unidades territoriais de distribuição (UTD’s),  que contemplam 415 municípios na área de concessão da empresa.

A gestão de demanda no novo COI é feita por tela de computador com imagem de pessoas em frente a televisão

Descrição gerada automaticamente com confiança médiauma tecnologia própria, desenvolvida pelos colaboradores da companhia, chamado de Tableau. O sistema garante que as ocorrências sejam continuamente avaliadas com relação a capacidade de atendimento dos controladores do sistema. Isso permite que eles estejam focados na supervisão da região pela qual são responsáveis, monitorando e disponíveis para qualquer intervenção. Entre os profissionais de campo e os administrativos, são mais de 2.100  profissionais atuando em três escalas distintas para o atendimento 24 horas.

“Neste novo COI unificamos nossa operação e a gestão do sistema elétrico. Assim, viabilizamos maior confiabilidade no fornecimento de energia aos baianos, que têm a garantia do mesmo atendimento, em qualquer localidade do estado”, avalia o diretor-presidente da Neoenergia Coelba, Luiz Antonio Ciarlini.

Em um único espaço está reunida a inteligência operacional da companhia, o que garante mais eficiência na tomada de decisões. “Isso permite maior rapidez de atuação nas ocorrências, e como consequência um menor tempo de interrupção do serviço ao público, quando houver”, afirma o gerente de operações da Neoenergia Coelba, Adriano Barros. Pessoa sentada em frente a computador

Como parte do gerenciamento de crise, o COI tem uma estrutura espelho, com as mesmas tecnologias, em uma outra localidade do estado mantida em sigilo. Essa estrutura poderá ser utilizada em caso de intervenções na base principal. Assim, se mantém em segurança as informações e o controle do fornecimento de energia na Bahia.

Automação da rede elétrica

A partir do novo COI já é possível operar todas as tecnologias utilizadas na operação. Este é o caso do self-healing, utilizado para manobras de automação na rede elétrica, e que permite retomar o fornecimento de energia em uma área interrompida com, no máximo, 15 segundos. Ao detectar uma interferência, que pode ser causada por queda de árvores, efeitos climáticos ou animais, o self-healing – do inglês “auto recomposição”, isola automaticamente a região afetada e reconecta a rede por outro caminho, garantindo o retorno imediato do fornecimento.

Em situações sem o self-healing, os clientes precisam aguardar o restabelecimento do sistema através da intervenção de uma equipe técnica no local. A automação a partir dessa tecnologia permite que o menor número de clientes seja impactado por uma ocorrência de interrupção. Essa e outras tecnologias utilizadas pela Neoenergia Coelba estão, agora, conectadas ao sistema integrado do COI, e contribuem para um atendimento mais célere e seguro aos baianos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × três =