A Suzano concluiu no último mês a parada geral (PG) para manutenção da Linha 2 da Unidade Mucuri, no Extremo Sul da Bahia. As operações envolveram mais de 3 mil profissionais, considerando colaboradores(as) próprios(as) e prestadores(as) de serviços. A companhia injetou cerca de R$ 50 milhões na economia local, considerando a contratação de mão-de-obra, hospedagem, alimentação e outros serviços utilizados da região.

As paradas são realizadas anualmente para manutenção de equipamentos como forma de prevenção. Elas são essenciais para o bom funcionamento dos equipamentos e garantia de segurança de colaboradores(as) e da comunidade. Seguindo o mesmo formato da edição anterior, a Suzano adotou medidas rigorosas para prevenção e controle da Covid-19, o que garantiu a segurança de todos(as) os(as) envolvidos.

Tradicionalmente as operações de manutenção aquecem toda a economia do Extremo Sul da Bahia. A ocupação de hotéis credenciados na região chegou a 80%, com uma ocupação total nas sedes dos municípios de Pedro Canário (ES) e Mucuri (BA), e nos distritos de Itabatan e Posto da Mata. Mais de 1,4 mil leitos de hotéis estavam reservados para estadia entre os dias 7 e 17 de novembro.

“A parada geral da Suzano impacta toda a nossa região. Desta vez não foi diferente, movimentou não só a hotelaria, mas todo o comércio que atende essa rede, como padarias, supermercados e fornecedores de transporte locais. No ano passado, as duas paradas também foram essenciais para captação de recursos financeiros para os empresários do Extremo Sul da Bahia por conta dos impactos da pandemia da Covid-19. Essas ações ajudam o comércio local a respirar”, afirma Cristiano Martins, Presidente da Associação Comercial e Empresarial de Nova Viçosa e proprietário da pousada Recanto dos Corais.

De acordo com as medidas de prevenção determinadas para a PG, todos os prestadores de serviço provenientes de outras regiões ficaram hospedados em hotéis e pousadas, com o limite de uma pessoa por quarto e comprovação da segunda dose da vacina contra a Covid-19 (ou dose única). Eles também passaram por uma triagem com a realização prévia de teste para Covid-19.

“Mais uma vez redobramos os cuidados durante a Parada Geral com exigências rigorosas e tivemos um excelente resultado, não só em relação às operações, mas também no que diz respeito à saúde dos profissionais envolvidos e geração de renda na região, cumprindo um dos nossos direcionadores de gerar e compartilhar valor”, finaliza Heverton Dias, gerente executivo industrial da Suzano na Unidade Mucuri.

Ações

Além do reforço das medidas, a Suzano manteve as ações fundamentais que já vem adotando desde o início da pandemia para preservar a saúde dos colaboradores, como disponibilização de álcool em gel, reforço do distanciamento de segurança, preenchimento do questionário de triagem e instalação de restaurantes de campanha, agilizando o fluxo de alimentação das pessoas envolvidas no evento.

Este ano, como medida adicional, visando o bem-estar das equipes, inúmeras iniciativas de quebra de rotina foram implementadas nos dias de parada. Foi desenvolvido um cardápio especial de almoço e todos(as) os(as) colaboradores(as) participaram diariamente de ações interativas como sorteios, foto ao vivo, entre outros.

“As paradas acontecem em intervalos de até um ano e meio como forma de manutenção preventiva. Para cada operação, elaboramos um planejamento que leva em conta a produtividade, mas também aspectos da sustentabilidade e as questões da comunidade no entorno da empresa. Foram muitos profissionais envolvidos em todas as áreas da empresa, e mais uma vez cumprimos nosso objetivo considerando todas as partes”, finaliza Marcus Francisco, Gerente de Manutenção da Unidade Mucuri.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezoito − quatro =