Região conhecida pelas belezas turísticas e pela produção do agronegócio, o Nordeste brasileiro recebeu do Governo Federal, por meio do Ministério da Infraestrutura, mais de R$1,3 bilhão em investimentos para modernizar seus principais modos de transporte. Entre os meses de janeiro e dezembro, foram entregues 34 obras, contemplando 31 rodovias federais, 2 portos e 1 hidrovia, além de quatro aeroportos concedidos à iniciativa privada.

No setor rodoviário, uma das principais obras foi a pavimentação de 77,6 quilômetros da BR-235/BA, que contribuiu para o turismo histórico e ecológico, já que a rodovia transversal brasileira atravessa os estados do Pará, Tocantins, Maranhão, Piauí, Pernambuco, Sergipe e Bahia. Com a obra executada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), a expectativa é de que cerca de 3 milhões de pessoas sejam beneficiadas diretamente.

A entrega da revitalização de 150 quilômetros na BR-343/PI, entre o povoado de Estaca Zero até o município de Floriano, fomenta também o desenvolvimento turístico na região, porque a rodovia faz a ligação de Teresina à região dos cerrados do sul do estado, onde se concentra o agronegócio no Piauí, atividade que vem crescendo constantemente e impulsionando a economia com a produção de grãos, especialmente a soja.

Já a ponte sobre o Rio Parnaíba, na BR-253/PI, em Santa Filomena, possibilitou a integração do Matopiba – região formada por áreas dos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia – à Ferrovia Norte Sul, projetada para ser a espinha dorsal do sistema ferroviário nacional, interligando as principais malhas ferroviárias das cinco regiões do Brasil. E, como retorno, vai permitir uma economia de 8% no valor do frete para o transporte de grãos até o Porto do Itaqui, no Maranhão.

Instalações portuárias

No setor portuário, a entrega do terminal de passageiros do Porto de Maceió, em Alagoas, vai impulsionar o turismo de cruzeiros marítimos na cidade. O espaço agora conta com mezanino, elevador, espaço de atendimento médico, sistema de climatização, banheiros, sala de apoio, sala de administração, cozinha e área no pavimento térreo para a recepção de turistas.

As melhorias em oito instalações portuárias de suporte hidroviário – de Canárias e de Barreiras, em Araioses (MA); de Caburé, em Barreirinhas (MA), de São José dos Leites/Lago de Areia, em Palmeirândia (MA), de Cateauá, em Porto Rico do Maranhão (MA); e de Uruçuí (PI), Cururupu (MA) e Guimarães (MA) – são importantes principalmente para a população local, que utiliza a via fluvial para o acesso a bens e serviços essenciais.

Ao garantirem a segurança nas operações de embarque e desembarque, as obras realizadas nas instalações portuárias proporcionam também mais dignidade nas atividades rotineiras das comunidades ribeirinhas.

Aviação turbinada

Leiloados em abril durante a Infra Week, junto com dois aeroportos do Centro-Oeste, os terminais aéreos de São Luís (MA), Imperatriz (MA), Teresina (PI) e Petrolina (PE) terão suas infraestrutura e capacidade operacional transformadas ao receberem, ao longo das próximas três décadas, investimentos que somam R$ 1,8 bilhão. O contrato de concessão entre a União e o Grupo CCR, que arrematou esse lote no leilão de abril, foi assinado em outubro, dando início à etapa de modernização dos seis terminais do Bloco Central/Nordeste.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

17 − três =