A plataforma cearense de aluguel residencial 7Cantos iniciou os trabalhos em Salvador em outubro e pretende “transformar” o mercado de locação de imóveis na capital baiana. Segundo o CEO da startup, Paulo Filho, Salvador conta com mais de 200 mil imóveis no mercado de locação. “Os proprietários de imóveis residenciais em Salvador já podem fazer seus cadastros na plataforma e os inquilinos já podem acessar para pesquisar as unidades disponíveis”, disse.

Na 7Cantos, as operações são realizadas de modo totalmente online, pela plataforma “onde o proprietário consegue tratar de forma direta e online com o inquilino”, explica o CEO. Após o anúncio, o proprietário consegue acompanhar os agendamentos e propostas através da própria plataforma. “Caso ele aceite alguma proposta de locação, nosso time cuidará da segurança financeira da locação, fará a análise de crédito do inquilino até a garantia mensal do aluguel. Todo o processo é virtual, inclusive o contrato que é assinado digitalmente, tudo com segurança e garantia”, explica Paulo.

Um diferencial que o CEO destaca é que o proprietário que anuncia conta com a facilidade de ter o aluguel garantido onde recebe o valor em dia, independente de possíveis atrasos do inquilino e ainda pode receber o aluguel de até 12 meses antecipadamente. Outro diferencial da plataforma é a agilidade na locação, onde o seu desempenho chega a ser três vezes a média das empresas tradicionais do setor. “Estamos alinhados com as tendências de mercado que apostam na liberdade, simplicidade e na desburocratização para se relacionar oferecendo o melhor serviço aos seus clientes, que podem ser tanto proprietários, quanto inquilinos”, diz.

Mercado

O mercado de proptechs (startups do ramo imobiliário) está bastante aquecido no Brasil. Segundo a empresa de inovação Distrito, o setor levantou US$ 851,4 milhões em 14 rodadas de investimento neste ano. 7Cantos, Loft, QuintoAndar, EmCasa e Yuca, por exemplo, são algumas das empresas que embolsaram cheques de fundos nacionais e estrangeiros em 2021. O segmento é o segundo mais aquecido do ecossistema de inovação brasileiro, perdendo apenas para as companhias de tecnologia do mercado financeiro, que captaram US$ 2,6 bilhões em 93 rodadas.

O ramo imobiliário é um dos mais rentáveis do mundo, correspondendo a cerca de 13% do Produto Interno Bruto (PIB) global, e as proptechs prometem movimentar ainda mais ao revolucionar o setor de ponta a ponta – desde a parte de construção até a compra de eletrodomésticos, por exemplo.

Buscando expandir os negócios, a startup 7Cantos, proptech que atua no desenvolvimento de soluções para facilitar negócios entre inquilinos e proprietários, recebeu recentemente aporte financeiro de R$ 2 milhões. O CEO da plataforma, Paulo Filho, afirma que “o plano é usar a alavancagem para levar a 7Cantos para todos os estados do Nordeste até 2023”. Além de Salvador, a startup também está em Fortaleza, Juazeiro do Norte, Recife e conta com mais de 2 mil imóveis cadastrados na plataforma.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

um + 18 =