General Mills cria banco de currículos direcionado à contratação de pessoas negras

Tema prioritário para a General Mills no Brasil e no mundo, a equidade racial é um dos pilares fundamentais em suas iniciativas sociais. Por isso, a empresa multinacional de alimentos, dona de marcas como Yoki, Kitano e Häagen-Dazs, anuncia a criação de um banco de currículos dedicado à contratação de pessoas negras que tenham interesse em trabalhar na organização no país.

Além do apoio à promoção da equidade racial para a população negra no Brasil, a ação tem o objetivo de conectar, cada vez mais, a companhia aos talentos negros, fortalecendo os compromissos firmados em novembro de 2020 por meio do Mover (Movimento pela Equidade Racial) – que prevê a contratação, pelas empresas do movimento, de 10 mil pessoas negras em cargos de liderança até 2030 – contribuindo para que a multinacional de alimentos continue caminhando em sua jornada rumo à essa transformação. Para participar do banco de currículos da General Mills voltado à diversidade, os interessados devem realizar suas inscrições  aqui.

“Entendemos que enquanto empregadores temos um papel fundamental na Diversidade e Inclusão dos nossos talentos. Todos os nossos esforços são parte de uma jornada que está se construindo e o nosso banco de talentos é mais um passo que ajudará a avançarmos ainda mais por meio dos processos seletivos, tornando-os cada vez mais inclusivos”, diz Bruna Gameiro, gerente de Recursos Humanos e Diversidade & Inclusão, da General Mills no Brasil.

No último ano, a General Mills assumiu publicamente o compromisso de ser um instrumento importante de mudança, reforçando um quarto pilar em suas prioridades sociais: avançar e promover iniciativas para equidade racial. Neste sentido, a empresa se uniu a outras representantes do setor de bens de consumo na assinatura do “Compromisso Público pela Equidade Racial”. O movimento busca usar o potencial das estruturas das empresas e marcas para acelerar mudanças efetivas em parceria com organizações e especialistas com conhecimento legítimo da causa, avançando em debates e, principalmente, em iniciativas práticas. Por meio de ações afirmativas que visam impactar o futuro e por meio de políticas a serem executadas no tempo presente, o movimento objetiva ainda criar oportunidades para o surgimento de lideranças negras e mais geração de renda e empregos.

Como forma de avançar na temática racial e alinhada a esta nova estratégia de D&I, a empresa está promovendo no mês da Consciência Negra (novembro), uma série de eventos internos, com o intuito de educar, sensibilizar e gerar reflexões sobre o combate ao racismo no ambiente de trabalho e em situações diversas do dia a dia. Nos Estados Unidos, a General Mills também assumiu o compromisso de dobrar o número de negros ocupando cargos de gerência e os gastos com fornecedores negros ou que façam parte de minorias, além de aumentar em 25% a representatividade de minorias internamente. No Brasil, além do MOVER, a companhia também definiu metas específicas para contratação e promoção de profissionais negros até 2025, para gerar diversidade também em cargos estratégicos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

catorze − onze =