Empresários do comércio estão mais otimistas, diz pesquisa

Intenção de contratação é a maior desde 2014: um excelente sinal para as vagas temporárias de fim de ano (Foto: Claudio Vieira/PMSJC)

O  Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), elaborado mensalmente pela Fecomércio-BA, registrou, em outubro, o 5º crescimento consecutivo, atingindo 111,7 pontos, alta de 4,4% na comparação com setembro. No contraponto anual, o avanço é de 13,4%, quando neste mês, em 2020, o Icec estava nos 98,5 pontos. O atual patamar é o maior desde abril do ano passado.

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio  varia de 0 a 200 pontos, sendo de 0 a 100 considerado um patamar otimista e de 100 a 200, nível otimista. Para o consultor econômico da Fecomércio-BA, Guilherme Dietze, a elevação do otimismo representa o cenário mais estável em relação a pandemia. Tanto que o índice que mais subiu em outubro foi o Investimento do Empresário do Comércio (IEEC), 6,4% em relação a setembro.

“E o que puxou esse índice foram os subindicadores de investimento e contratações. O primeiro cresceu 16,3%, porém ainda se situa no patamar pessimista com 85,7 pontos. Já o índice de contratação subiu 3,1% e atinge o maior patamar desde dezembro de 2014, com 127 pontos”, esclarece o economista.

Com a abertura do comércio, o crescimento nas vendas tem demandado uma força de trabalho maior, se acentuando para os eventos do fim de ano: Black Friday e Natal. “Dessa forma, os empresários estão com mais intenção de contratação, criando oportunidades para milhares de pessoas buscarem recolocação no mercado de trabalho”, cita Dietze.

O Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC) cresceu 3,6% na comparação com setembro e chega aos 150,2 pontos. O subíndice mais alto é o de Expectativa das Empresas Comerciais que está nos 156,9 pontos, numa alta mensal de 4,7%.

“A avaliação do momento, no entanto, ainda está no patamar pessimista, de 87,7 pontos em outubro. Porém, com a alta de 3,8%, esta passa a ser quinta elevação consecutiva e acumula nesse período um crescimento de 66,2%, uma rápida recuperação a partir da reabertura da economia que ocorreu no início do segundo bimestre deste ano”, justifica Dietze.

O que chama a atenção na perspectiva do economista é que houve aumento do pessimismo em relação a economia em geral do atual momento em -3,6% (de 78,7 para 75,9 pontos) e redução do pessimismo em +8% (de 88,7 para 95,8 pontos) na avaliação das empresas comerciais. “Em linhas gerais, significa dizer que a percepção é que a economia nacional está indo mal, mas o comércio ainda permanece com bom momento de recuperação das vendas”, explica Guilherme.

A Fecomércio-BA projetou para o mês de novembro, quando ocorre a Black Friday, um aumento nas vendas de 5,4%. Esse evento costuma ser um termômetro para o varejo no Natal, principal data do setor. A maior injeção do 13º salário, em relação a 2020, deve ser o principal fator para estimular o consumo neste final de ano.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 × três =