Maior variação regional em outubro foi registrada na Região Norte, com alta de 2,57% (Foto: Helena Pontes/Agência IBGE)

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) divulgado hoje (10) pelo IBGE subiu 1,01% em outubro. Trata-se da terceira menor taxa de 2021, ficando 0,13 ponto percentual acima da taxa do mês anterior (0,88%), que foi a menor do ano, e 0,02 p.p. acima de agosto (0,99%), a segunda menor. No acumulado dos últimos 12 meses, a taxa é de 21,22%, pouco abaixo dos 22,06% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. De janeiro a outubro, o resultado fechou em 16,79%. Em outubro de 2020, o índice havia sido de 1,71%.

“A parcela dos materiais é a verdadeira responsável por esse resultado, uma vez que não está havendo movimentação significativa na mão de obra, à exceção dos acordos coletivos homologados”, analisa o gerente do Sinapi, Augusto Oliveira.

O custo nacional da construção por metro quadrado, passou de R$ 1.475,96 em setembro para R$ 1.490,88 em outubro, sendo R$ 888,45 relativos aos materiais e R$ 602,43 à mão de obra.

A parcela dos materiais subiu 1,27%, numa pequena alta de 0,06 ponto percentual em relação ao mês anterior (1,21%). Considerando o índice de outubro de 2020 (3,17%), a queda foi mais significativa, 1,90 ponto percentual.

Já a parcela da mão de obra, com taxa de 0,64% e um acordo coletivo observado, apresentou alta de 0,24 p.p. frente ao índice de setembro (0,40%). Comparado a outubro de 2020 (0,04%), houve alta de 0,60 p.p.

“Ainda estamos num momento em que as taxas dos últimos meses parecem baixas diante do avanço percebido desde agosto do ano passado, mas quando comparadas com a série histórica, podem ser consideradas altas”, explica Augusto Oliveira.

Os acumulados do ano são 25,08% (materiais) e 6,42% (mão de obra), sendo que em doze meses ficaram em 33,39% (materiais) e 6,88% (mão de obra), respectivamente.

Região Norte registra maior variação mensal

A Região Norte, com alta significativa observada na parcela dos materiais em todos os estados, e acordo coletivo celebrado no Pará, ficou com a maior variação regional em outubro, 2,57%. O Pará, aliás, foi o estado que apresentou a maior variação mensal, chegando a 4,61%.

As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 0,67% (Nordeste), 1,06% (Sudeste), 0,45% (Sul), e 1,22% (Centro-Oeste). Os custos regionais por metro quadrado foram: R$ 1.475,26 (Norte); R$ 1.395,40 (Nordeste); R$ 1.551,51 (Sudeste); R$ 1.572,52 (Sul) e R$ 1.470,62 (Centro-Oeste).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezesseis − treze =