Gostaria de saber como vai você. Estou interessada em saber como você tem se sentido e como tem vivido nesse mundo frenético denominado por Jamais Cascio, futurista e antropólogo norte-americano, de mundo B.A.N.I – frágil, ansioso, não linear e incompreensível.

Como tem sido seus dias, o que você anda pensando e como tem levado a vida nesse tempo pandêmico, incerto e complexo, bem complexo! No frigir dos ovos eu quero mesmo é que você me diga se está realizado e feliz ou… se vem querendo e pensando incessantemente em mudar, especialmente seu trabalho e seu estilo de vida. Caso a resposta seja a segunda opção, eu me arrisco a dizer que as razões para o desejo de fazer essa mudança, tem a ver com o anseio de ter uma carreira que concilie estabilidade financeira, liberdade e vida equilibrada. Acertei?

Nós já sabemos que não existe manual para alcançar essa preciosidade, mas como a esperança é a última que morre e ninguém quer passar a vida insatisfeito e arrependido por não ter tentado, vale à pena se aventurar. Aliás, eu vim aqui para lhe encorajar a tentar, ou melhor, a testar um novo jeito de viver. O problema é que talvez seu modelo mental seja rígido demais para lidar com toda essa flexibilidade e transitoriedade existente no novo mundo, e esteja impedindo você de se permitir experimentar novas alternativas.

Um exemplo da relevância e influência do modelo mental em nossas vidas, é o fato de que um dos aspectos que contribuem significativamente para o adoecimento psíquico do indivíduo, é a insistência do mesmo em viver o novo do jeito velho, ou seja, a falta de adaptabilidade. É preciso deixar a mentalidade fixa de lado – “eu não sei fazer” – para adotar a mentalidade construtiva – “eu ainda estou aprendendo a fazer”. A palavra “ainda” liberta o indivíduo da estreiteza e abre o campo de possibilidades.

É bem provável que a ansiedade em acertar e a exigência de sempre parecer correto e capaz, geradas pelo perfeccionismo, induzam você a uma repetição contínua de padrões e escolhas, a fim de lhe poupar entrar em contato com sua vulnerabilidade, mantendo você no percurso conhecido e limitado.

Você já pensou que pode usar a seu favor, o cenário atual de transformação e construção, para vir a ter a vida que você sonha? Hoje é muito mais possível experimentar, começar uma ideia nova, realizar uma atividade paralela, sem precisar abrir mão do trabalho formal, o que facilitaria inclusive, uma transição de carreira. Desenvolver projetos, oferecer cursos pela internet na área de especialidade são boas opções para quem quer aumentar os ganhos financeiros ou vivenciar autonomia e liberdade de atuação. Além disso, novas configurações e contratos de trabalho estão surgindo e torna viável a negociação de uma jornada mais flexível e móvel de trabalho. Até porque muitas organizações tradicionais estão tendo dificuldades em atrair talentos e em obter o melhor das pessoas no trabalho, justamente porque todo mundo está em busca de bem-estar e equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Se você quer estabilidade, liberdade e equilíbrio, prepare-se para combinar vários modelos de trabalho e estabelecer uma nova relação com o mesmo. Esse movimento facilitará você a expandir seu potencial e dar vazão a diferentes talentos e perfis que você possui. Não existe escolha fácil ou perfeita, mas conhecer bem a si mesmo e as opções disponíveis de formas de trabalho, ajudará a construir o caminho que lhe satisfaça.

Comece a experimentar. Desenvolva novas habilidades, conheça novas culturas, aprenda coisas novas, invista em atividades que explorem seus pontos fortes e crie a disciplina e a constância necessárias para se sentir seguro, versátil e confiante na sua capacidade de construir o futuro do trabalho que você quer.

Afinal, até quando você pretende viver para o trabalho, ao invés de moldar o seu trabalho a vida que você ama?

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezesseis − catorze =