O maior empreendimento da aviação regional executado integralmente na gestão do presidente da República, Jair Bolsonaro, está concluído. Durante dois anos e meio, o Aeroporto Regional de Maringá (PR) passou por obras que usaram alta tecnologia para dobrar sua capacidade operacional. Ao todo, a transformação contou com R$ 76,6 milhões de recursos públicos, do Fundo Nacional de Aviação Civil (Fnac), e ajudará a impulsionar a economia paranaense.

Agora, cargueiros internacionais poderão pousar ou decolar no município paranaense. A renovação possibilita a movimentação simultânea de 12 aeronaves. Após ampliação, a pista de pouso ficou com 2.380 metros de extensão, tornando-se a segunda maior do estado. Ao lado do presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, celebrou a conclusão do projeto.

“Temos aqui, numa região estratégica, que atende mais de 1 milhão de habitantes, a maior obra em aviação regional do governo Bolsonaro. É a primeira que usou a metodologia BIM [Modelagem da Informação da Construção, em tradução livre] a ser entregue. Aplicamos aqui, em todas as etapas de reestruturação da pista de pouso e decolagens e também do pátio de aeronaves, essa tecnologia de construção inteligente, o que garante eficiência, rapidez e menor custos na obra”, detalhou o ministro. A entrega faz parte do calendário de celebração de 1 mil dias de governo.

RAPIDEZ E ECONOMIA

O aporte maior de recursos na execução das melhorias do aeroporto de Maringá garante um terminal totalmente funcional, com imediata ampliação da capacidade de movimentação de passageiros, que antes da obra era de 742 mil por ano. Graças às dimensões do novo pátio de aeronaves, as categorias das aeronaves com permissão para operar no local passaram das B737-800 para B767, incluindo cargueiros estrangeiros. No pátio, há espaço para até 12 aeronaves circularem ao mesmo tempo.

Essas mudanças vão garantir que mais operações tenham como origem e/ou destino Maringá. O terminal também recebeu novo sistema de taxiways, modernização dos auxílios à navegação aérea e serviços complementares.

Mas os trabalhos não terminam nesta etapa. Terão continuidade obras para implantação do sistema de pouso por instrumentos (ILS), orçadas em R$ 15 milhões; modernização da torre de controle (mais R$ 14 milhões), bem como reforma e ampliação do terminal de passageiros.

“E não vai parar por aí, agora nós vamos investir na ampliação do terminal de passageiros para dar mais conforto neste aeroporto que vai ser a ligação de Maringá com o resto do Brasil. Aquelas concessões que representam uma ferida no paranaense vão ser resolvidas, e ficamos muito felizes de anunciar todas essas entregas e investimentos a um estado que vai ter uma logística cada vez maior”, concluiu o ministro Tarcísio.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

11 − 10 =