O volume de soja produzido em São Desidério cresceu 15,0%, totalizando 1,5 milhão de toneladas (Foto: Ag. Marca Studio)

Os crescimentos da produção e do valor gerado pela soja afetaram positivamente o desempenho das cidades agrícolas do Oeste da Bahia. Entre 2019 e 2020, Formosa do Rio Preto e São Desidério estiveram entre os três municípios brasileiros com os maiores avanços absolutos no valor da produção agrícola.  Nesse período, o valor da agricultura de Formosa do Rio Preto cresceu 78,3%, passando de R$ 2,1 bilhões para R$ 3,7 bilhões. O aumento absoluto, de R$ 1,6 bilhão, foi o 2º maior entre os municípios do país, atrás apenas do verificado em Maracaju/MS, onde o valor da produção agrícola avançou R$ 1,7 bilhão frente a 2019.

Já São Desidério apresentou o 3º maior avanço absoluto do valor agrícola no período, de R$ 3,2 bilhões em 2019 para R$ 4,6 bilhões em 2021, um aumento de R$ 1,4 bilhão (+44,6%).  Os crescimentos fizeram ambos os municípios subirem no ranking nacional dos maiores valores da produção agrícola. As informações são da pesquisa da Produção Agrícola Municipal (PAM), do IBGE.

São Desidério passou da 3ª para a 2ª posição entre os municípios brasileiros com o maior valor de produção da agricultura, ultrapassando Sapezal/MT (R$ 4,3 bilhões) e ficando atrás apenas de Sorriso/MT (R$ 5,3 bilhões).

O volume de soja produzido em São Desidério cresceu 15%, totalizando 1,5 milhão de toneladas em 2020, com um valor da produção de R$ 2,5 bilhões, 76,2% maior que o de 2019. O município passou de 6º a 3º maior produtor de soja do país.

Milho

O milho também teve uma safra significativamente maior no município, em 2020, chegando a 379,0 mil toneladas (+12,0% do que em 2019), com um valor de R$ 299,0 milhões, 75,7% acima do gerado no ano anterior.

Além disso, apesar da queda na produção do algodão herbáceo – que recuou 8,3% entre 2019 e 2020, em São Desidério, chegando a 543,7 mil toneladas -, o valor de produção gerado cresceu 9,3%, indo a R$ 1,6 bilhão. A redução da produção em 2020 tampouco impediu que São Desidério seguisse como o 2º maior produtor de algodão do país, tanto em quantidade quanto em valor, abaixo apenas de Sapezal/MT.

Com o 2º  maior aumento absoluto do país no valor de produção agrícola, Formosa do Rio Preto subiu do 11º para 5º lugar no ranking nacional, entre 2019 e 2020. A escalada também foi puxada pelos desempenhos de soja, milho e algodão.

A produção de soja em Formosa do Rio Preto cresceu 23,5%, totalizando 1,6 milhão de toneladas em 2020, com um valor da produção de R$ 2,7 bilhões, 90,8% maior que o de 2019. Com isso, o município passou da 3ª para a 2ª posição entre os maiores sojicultores do país tanto em quantidade quanto em valor, ficando atrás apenas de Sorriso/MT (que produziu 2,3 milhões de toneladas a R$ 2,8 bilhões).

A produção de milho cresceu 52,2%, chegando a 264,0 mil toneladas em 2020, e teve valor 107,9% maior do que em 2019 (R$ 182,8 milhões). A safra de algodão herbáceo, por sua vez, aumentou 19,7%, atingindo a marca de 248,1 mil toneladas, com valor de produção de R$ 751,7 milhões, 36,1% maior do que em 2019.

Assim, em 2020, a Bahia seguiu como 3º estado com mais municípios entre os 50 maiores valores da produção agrícola do país. Seis deles são baianos: São Desidério (2º), Formosa do Rio Preto (5º), Barreiras (19º), Correntina (22º), Luís Eduardo Magalhães (32º) e Riachão das Neves (40º).

Mato Grosso tem o maior número de municípios entre os 50 maiores valores gerados pela agricultura (21 cidades). Mato Grosso do Sul fica na segunda posição (7).

No ranking baiano do valor da produção agrícola, os dez municípios mais bem colocados foram os mesmos em 2019 e 2020, mas houve trocas de posições entre eles. Correntina subiu de 5º para 4º lugar, ultrapassando Luís Eduardo Magalhães, e Juazeiro caiu da 7º para a 9º posição, sendo superado por Jaborandi e Mucugê.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

20 + 6 =