A hotelaria de Salvador fechou o mês de agosto com a taxa média de ocupação em 45,68%, confirmando trajetória de gradual recuperação da atividade. Esse resultado é quase o dobro do registrado em agosto de 2020 (23,71%), embora ainda seja inferior aos anos anteriores à pandemia, a exemplo dos 62,29% alcançados no mesmo período em 2019. O reflexo da pandemia e a limitação de voos internacionais para a vinda de turistas europeus em férias ajudam a compreender essa diferença.

A diária média também acompanhou a tendência crescente fechando em R$ 352,35 e em R$ 267,29 sem considerar os hotéis de luxo. Com isso, o Revpar (indicador ponderado da diária e taxa de ocupação) atingiu R$ 160,95, um dos melhores do ano.

É importante considerar que essas médias escondem desempenhos diferentes, já que os resultados dos hotéis de lazer são superiores aos hotéis voltados para o público corporativo e de eventos, que ainda apresentam ocupação muito inferior ao ponto de equilíbrio. Refletindo essa mesma tendência, verificam-se taxas de ocupação nos finais de semana muito superiores aos dias de semana, chegando essa diferença a 13 pontos percentuais em alguns casos.

De acordo com Luciano Lopes, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (ABIH-BA), o avanço da vacinação, a abertura das praias e pontos turísticos, e a gradual retomada dos voos são os principais fatores responsáveis por essa recuperação. Além disso, a ABIH-BA, juntamente com a Prefeitura de  Salvador e os hoteleiros, está atuando fortemente com ações promocionais visando divulgar a capital baiana em mais de 10 cidades do Brasil e da América do Sul para atrair cada vez mais visitantes. A próxima edição do Road Show Salvador acontece nesta quarta-feira, 15 de setembro, no principal ponto emissor, São Paulo.

Otimismo

Para completar, a rede hoteleira baiana está otimista com o novo decreto, referente à liberação de eventos para até mil pessoas. Segundo Luciano Lopes, a flexibilização para realizar eventos em Salvador é uma oportunidade para ampliar o turismo de negócios, ligado a eventos corporativos e também os festivos, contribuindo para o aumento do fluxo de turistas e, com isso, elevando a taxa de ocupação hoteleira.

“É fato que já estamos numa curva crescente do turismo de lazer, pois aos poucos as pessoas estão vindo para Salvador. Basta observar a grande movimentação nos principais pontos turísticos. Agora, sem dúvida, é a vez do segmento de negócios retomar e alavancar. Já temos alguns eventos confirmados para o mês de novembro, a exemplo do Congresso Brasileiro de Oncologia. Com a terceira maior rede hoteleira do país composta por 40 mil leitos, uma malha aérea com voos para dezenas de destinos nacionais e internacionais, múltiplos atrativos naturais e históricos, aliados ao mais novo Centro de Convenções, Salvador é o destino ideal para esses eventos”, conclui o presidente da ABIH-BA.

Os números aqui divulgados são fruto da Pesquisa Conjuntural de Desempenho (Taxinfo), realizada pela ABIH, Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – seções Bahia e Brasil. O levantamento é digital e os dados são fornecidos diariamente pelos hotéis ao Portal Cesta Competitiva. A média resultante constitui o indicador para avaliar a evolução da atividade de hospedagem na capital baiana.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

1 × 4 =