Com a identificação da cor roxa, o mês de setembro foi escolhido como o mês de conscientização da fibrose cística. Pensando nisso, a Clínica Escola de Fisioterapia do Centro Universitário UniFTC Salvador, localizado na Paralela, oferece vagas para tratamento gratuito da enfermidade.

Segundo a fisioterapeuta e orientadora da Clínica, Priscila Correia, como a maioria das pessoas que precisam do tratamento são crianças, por conta da pandemia a atuação vai acontecer de forma diferenciada a depender da idade. Crianças até 12 anos serão atendidas de forma remota e acima de 12 anos de forma presencial.

Os interessados devem entrar em contato através do número (71) 3281-8187, de 8h às 17h, e realizar o cadastro e agendamento. Para o atendimento é necessário apresentar documento de identificação com foto e solicitação médica para fisioterapia.

Após a triagem, o candidato será informado sobre o dia e horário do atendimento. Os serviços oferecidos pela Clínica são realizados pelos estudantes de fisioterapia da Rede UniFTC que estão em processo de estágio.

A Clínica Escola de Fisioterapia do Centro Universitário UniFTC de Salvador também oferece atendimentos em ortopedia e traumatologia, neurofuncional, pediatria, geriatria e terapias complementares em saúde.

Casos no Brasil

Um a cada 10 mil nascidos no Brasil são diagnosticados com a enfermidade, conforme o Instituto Unidos Pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística. Também conhecida como Doença do Beijo Salgado ou Mucoviscidose, a fibrose cística afeta principalmente os pulmões, pâncreas e o sistema digestivo e é uma doença crônica não transmissível que pode ser diagnosticada a partir do teste do pezinho.

É o caso dos filhos de Maria José, Lucas e Vinícius Fonseca, de 12 e 10 anos, respectivamente. Os dois possuem fibrose cística e a descoberta se deu nos primeiros 3 meses de vida. Atualmente eles fazem tratamento fisioterápico na Clínica-escola do Centro Universitário UniFTC Salvador, na Paralela.

“O Lucas eu descobri primeiro. Quando tinha três meses de vida ele ficou muito mal e precisou ser internado. Após o médico investigar, descobriu que ele tinha a doença. Já sabendo que é algo genético, com dois meses fizemos os exames no Vinícius e descobrimos que ele também tem fibrose cística”, comenta dona Maria José.

Segundo a fisioterapeuta Priscila Correia, o que acontece é que um gene considerado defeituoso produz uma proteína que induz o corpo a produzir muco de 30 a 60 vezes mais espesso que o normal. Este muco espesso propicia o acúmulo de bactérias e germes nas vias respiratórias, podendo causar inchaço, inflamações e infecções como pneumonia e bronquite.

“Basicamente, os sintomas da fibrose cística estão ligados a esta produção da mucosa espessa e suas reações no organismo. Por exemplo, se esta secreção se acumula no pulmão, pode gerar tosse crônica, pneumonia, entre outros. Este muco também pode bloquear o trato digestório e o pâncreas, impedindo que as enzimas digestivas cheguem ao intestino”, explica Priscila, que também é professora da Rede UniFTC.

Os sintomas mais comuns da fibrose cística são: pele/suor de sabor muito salgado; tosse persistente, muitas vezes com catarro; infecções pulmonares frequentes, como pneumonia e bronquite; chiados no peito ou falta de fôlego; baixo crescimento ou pouco ganho de peso, apesar de bom apetite; diarreia; surgimento de pólipos nasais; alongamento e arredondamento na ponta dos dedos.

Contudo, não é porque uma pessoa possui fibrose cística que ela não pode ser capaz de ter uma vida como todos os outros, desde que faça o tratamento correto para manutenção da saúde, como explica dona Maria José: “Eu aconselho todos os pais a procurarem logo um tratamento e ter fé, pois fazendo o tratamento tudo corre bem e é possível ter uma vida normal, mesmo com todas as dificuldades”.

Centros de referência em Salvador

Os pacientes com fibrose cística na Bahia também podem ser atendidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em dois hospitais centros de referência localizados em Salvador.

São eles: o Hospital Octávio Mangabeira, considerado Centro de Referência Especializado Fibrose Cística. O agendamento pode ser realizado pelo telefone (71) 3117-1754; e o Hospital Universitário Professor Edgard Santos (Hospital das Clínicas), com agendamento possível através do telefone (71) 3283-8333.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

16 − 8 =