Funcionário da Veracel realiza leitura ao lado de um dos sensores (Foto: Divulgação)

Muito se fala em internet das coisas, com objetos físicos sendo monitorados em tempo real e acompanhados digitalmente. Já vemos alguns exemplos dessa tendência cada vez mais presentes em nosso dia a dia, como o uso de aparelhos de assistentes virtuais para conectar e controlar rádios, televisores, luzes e outras funcionalidades dentro de uma residência. Contudo, será que esse tipo de conectividade é possível dentro de uma floresta de eucalipto? Para a Veracel Celulose, a resposta é sim. A empresa acaba de aderir à tecnologia de sensores IoT (Internet das Coisas) para monitorar o crescimento de suas florestas.

O monitoramento com medições manuais agora é de forma digital, mais ágil e eficiente. A inovação foi desenvolvida pelo parceiro fornecedor de tecnologias florestais Treevia Forest Technologies e implementada nas áreas da Veracel desde maio deste ano.

“Com essa tecnologia, poderemos melhorar ainda mais nossas metodologias de análises de dados e conseguiremos realizar avaliações e recomendações de forma mais precisa. Será possível, por exemplo, avaliar como fatores climáticos intervêm no crescimento da floresta. Isso permitirá gerir o inventário e trabalhar as plantações de eucalipto de forma sempre mais estratégica e produtiva para a empresa”, explica Marcos Vinícius Santana Leite, especialista em Planejamento Florestal da Veracel.

A empresa instalou 150 sensores IoT, em pontos estratégicos da plantação, permitindo conhecer o crescimento de suas florestas de forma prática. Os sensores têm capacidade para coletar informações a cada 10 segundos. Eles são, ainda, programados para funcionar durante o dia e são automaticamente desligados à noite, otimizando o uso de bateria. Isso garante sua duração em todo o ciclo de produção das árvores entre plantio e colheita. Com isso, não há necessidade de recarregar ou trocar os sensores durante todo o período necessário para o acompanhamento do inventário florestal da Veracel.

Uso de drones para medição de inventário de estoques

Além da novidade dos sensores IoT para acompanhar o crescimento da floresta de eucalipto, a Veracel também está utilizando a tecnologia de drones para otimizar o tempo de medição e controle da quantidade de madeira colhida armazenada em pilhas.

Os drones fazem um mapeamento 3D das pilhas, utilizando um método conhecido como aerofotogrametria. Com essa técnica, é feita a medição da altura e o comprimento das pilhas, entregando o cálculo do volume de madeira total nas pilhas de madeira em estoque. O novo método irá substituir definitivamente o inventário manual.

“Ganhamos eficiência no processo de medição do volume de madeira empilhada e podemos atualizar e validar as informações de estoque de madeira com muito mais precisão e agilidade, apoiando o planejamento de produção de celulose na fábrica”, pontua Aline Vergani, especialista Planejamento Florestal.

A Veracel já tem utilizado drones em diferentes frentes para levantamentos de sobrevivência de plantios, monitoramento de doenças e distribuição de inimigos naturais para combater pragas nas plantações de eucalipto, entre outras atividades.

Para garantir a segurança do uso da tecnologia, foi criado um método de organização do espaço aéreo da Veracel, por meio de uma ferramenta de agendamento de sobrevoos realizados por drones próprios ou de empresas parceiras. Assim, são evitadas colisões entre as aeronaves não tripuladas e as tripuladas, que também prestam serviços para a Veracel.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

dez + catorze =