Maior produtora e exportadora de papéis para embalagens e embalagens de papel do Brasil, a Klabin dá mais um passo importante em sua estratégia de crescimento com o startup da primeira máquina de papel (MP27) do Projeto Puma II, localizado em Ortigueira (PR), o maior investimento da história da companhia. Com capacidade produtiva de 450 mil toneladas, a MP27 dá início à produção do Eukaliner, o primeiro papel kraftliner do mundo feito 100% com fibras de eucalipto.

O Projeto Puma II é resultado do aporte de R$ 12,9 bilhões feito pela Klabin na construção de duas novas máquinas de papel até 2023, com produção de celulose integrada. Trata-se de um importante marco no ciclo de expansão pelo qual a companhia vem passando e que reforça sua capacidade de crescimento sustentável aliado à tecnologia.

“Buscamos o que há de mais moderno para, assim como feito na Unidade Puma, tornar o Puma II referência mundial em sustentabilidade, tecnologia e inovação, alinhados aos princípios da indústria 4.0 e com o objetivo de oferecer ao mercado produtos de alta qualidade, gerando valor à Companhia e à sociedade, sempre em sintonia com as melhores práticas de saúde, segurança e buscando o desenvolvimento das comunidades do nosso entorno”, afirma Francisco Razzolini, diretor de Tecnologia Industrial, Inovação e Sustentabilidade da Klabin.

Para se antecipar às transformações do mercado, potencializadas pelos novos hábitos e perfil de consumo, a Klabin aproveitou a diversidade de seus ativos florestais e aprofundou pesquisas que viabilizaram o desenvolvimento do Eukaliner, produto patenteado pela Companhia e que já conta com 100% de sua produção vendida, sendo que 70% por meio de contratos já assinados, atendendo aos mercados interno e externo.

“O Eukaliner é o primeiro kraftliner do mundo feito exclusivamente a partir da fibra de eucalipto, um produto inédito e inovador que reúne uma série de diferenciais competitivos, entre eles uma estrutura mais robusta, permitindo a redução de gramatura das embalagens de Papelão Ondulado em até 10% com aumento de resistência, melhor qualidade de impressão e ainda atributos de sustentabilidade, já que utiliza menos recursos para produção do mesmo volume de papel”, explica Flávio Deganutti, diretor de Papéis da Klabin.

Segunda máquina

Paralelo ao início de operação da MP27, as obras para construção da segunda máquina de papel do Projeto Puma II, que tem o seu startup previsto para 2023, já foram iniciadas e seguem todos os protocolos de segurança e higiene exigidos pelo período. A MP28 terá como foco a produção de papel-cartão, com capacidade produtiva de 460 mil toneladas anuais e consolida a Klabin como produtora global de cartões para alimentos líquidos (leites e sucos) e alimentos industrializados (cereais, chocolates, pizzas, proteínas, etc.), produtos de higiene e limpeza (detergentes em pó, creme dental), cartão para embalagens multipack de latas e garrafas, além de cartões para o crescente segmento de food service, como copos e bandejas, dando sequência aos planos contínuos de crescimento e expansão da Companhia. A decisão pela máquina de papel-cartão foi anunciada em maio deste ano e considera uma profunda avaliação de tendências, oportunidades e condições de mercado.

“O setor está num momento próspero e avaliamos que seguirá aquecido nos próximos anos, impulsionado pela busca por mais sustentabilidade. O cartão confere boas possibilidades para nosso negócio, que é integrado, diversificado e flexível. Também permite a associação com barreiras, que crescem fortemente como alternativa às embalagens plásticas de uso único”, afirma Deganutti.

Estratégia voltada para a sustentabilidade

O Projeto Puma II foi projetado para aliar produtividade ao menor impacto possível ao meio ambiente. Dentre as diversas iniciativas previstas para entrar em operação está a instalação de uma planta de ácido sulfúrico que tornará a unidade autossuficiente na produção do composto químico, utilizado no processo produtivo da celulose e do papel e que utilizará como matéria-prima gases coletados na fábrica.

Outra importante iniciativa prevista é a instalação de uma Planta de Gaseificação de Biomassa, que fornecerá combustível renovável ao Forno de Cal, substituindo o uso de combustível de origem fóssil. Na unidade, também será instalado o Turbogerador 3 (TG-3), que tem a finalidade de transformar a energia térmica do vapor (produzido nas Caldeiras de Recuperação e Força, com base em biomassa) em energia elétrica.

“Entre os benefícios da adoção destas tecnologias está a ampliação da nossa matriz energética de fonte renovável e a redução das emissões de gases de efeito estufa. São ações cruciais para o combate às mudanças climáticas, tema de enorme relevância e que temos como premissa para este projeto e para os investimentos futuros da Companhia. As iniciativas são parte de um plano estratégico para o alcance de metas e compromissos ambiciosos assumidos pela Klabin”, completa Razzolini.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezessete + quinze =