A Companhia de Ferro Ligas da Bahia (Ferbasa), principal fornecedora de ferroligas do Brasil e única produtora de ferrocromo das Américas, encerrou o primeiro semestre do ano com um lucro líquido de R$ 173,3 milhões, o que representa uma alta de 725,2% em relação a igual período do ano passado. Já a receita líquida no 1S21 totalizou R$ 1.028,2 bilhão, registrando um acréscimo de 33% quando comparado ao 1S20. Esse resultado foi, principalmente, influenciado pela alta de 20,9% no preço médio, em dólar, dos principais produtos, pela valorização de 11,6% no dólar médio praticado e pelo aumento de 1% no volume de vendas. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (12) à noite.

De acordo com o balanço, foram produzidas 151,6 mil toneladas de ferroligas no 1S21, um acréscimo de 1,1% em relação ao 1S20, com avanço de 3,5% das ligas de cromo, e recuo de 4,1% das ligas de silício. Foram comercializadas 132,9 mil toneladas de ferro ligas no 1S21, volume 1% superior ao 1S20.

O resultado decorre do incremento de 45,8% nas vendas para o mercado interno e redução de 28,9% nos volumes destinados ao mercado externo, refletindo a capacidade da companhia na alteração do mix de destinação das vendas, segundo se apresentem as circunstâncias de mercado.

A empresa

Fundada há 60 anos na Bahia, a Ferbasa tem atuação integrada e verticalizada nas áreas de mineração, metalurgia, recursos florestais e energia renovável, mantendo como principais produtos de seu portfólio as ligas de ferrocromo alto carbono (FeCrAC), ferrocromo baixo carbono (FeCrBC), ferrossilício (FeSi75), ferrossilício 75 alta pureza (FeSi HP) e ferrossilício cromo (FeSiCr), destinadas, principalmente, ao setor siderúrgico e à fabricação de aços inoxidáveis e especiais, atendendo aos mercados interno e externo, principalmente Japão, Estados Unidos e União Europeia.

Além disso, comercializa minério de cromo via exportação, areia de cromita e outros produtos quando não consumidos no seu processo industrial, como, por exemplo, energia elétrica e madeira de reflorestamento. A empresa também se destaca pelo pagamento de bons dividendos, baixo endividamento e alta liquidez, o que tem contribuído para o seu reconhecimento como instituição sólida e segura.

As atividades de mineração incluem uma mina subterrânea, uma mina a céu aberto, ambas de minério de cromo, duas minas de quartzo e uma planta voltada à produção de cal virgem, todas localizadas no Centro Norte baiano. As produções são direcionadas, em grande parte, à unidade metalúrgica localizada em Pojuca/BA, onde estão instalados seus 14 fornos elétricos destinados à produção das ligas. Esses fornos são equipados com filtros de mangas, equipamentos que objetivam a neutralização do lançamento de material particulado na atmosfera.

O segmento florestal é composto por 64 mil hectares, dos quais, 45% são classificados como reserva de matas nativas, incluindo reserva legal e áreas de preservação permanente. Essas reservas, somadas às nascentes, margens de rios e taludes acentuados, excedem o limite mínimo de 20% estabelecido pela legislação. O ativo florestal inclui 1.243 hectares de áreas aprovadas como Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN).

Por último, temos o Complexo Eólico BW Guirapá, fonte de energia limpa e renovável. Com capacidade instalada de 170 MW, a partir de 2034, quando se encerra o contrato de fornecimento celebrado com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e coincide com o processo de encerramento do contrato com a Chesf, o parque eólico contribuirá com a garantia do suprimento deste importante insumo para as fábricas

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

13 − 12 =