Suzano doa material escolar a comunidades indígenas da Bahia

A ação contemplou 15 aldeias nos municípios de Prado, Alcobaça e Itamaraju (Foto: Divulgação)

Por meio do Projeto de Educação Indígena Kijêtxawê, a Suzano apoia a perspectiva do desenvolvimento da educação diferenciada nas aldeias, contribuindo para reduzir a evasão escolar. No mês de junho, por meio desse projeto, a empresa doou materiais didáticos e educativos que contemplaram cerca de 1.500 alunos matriculados na rede pública de ensino nos municípios de Prado, Alcobaça e Itamaraju.

O isolamento social exigido pela pandemia impacta ainda mais as atividades de geração de renda, principalmente em comunidades indígenas que vivem da comercialização de artesanato e turismo. “Os materiais escolares doados pela empresa auxiliam as famílias durante todo curso do projeto, que este ano está na sua terceira edição”, explica Douglas Peixoto, coordenador de Desenvolvimento Social da Suzano.

Os kits doados incluem os materiais básicos para atender as necessidades dos alunos, tais como cadernos, canetas, tesoura, régua, apontador e borracha, entre outros artigos. O apoio da Suzano tem contribuído para o bem-estar do nosso povo”, destaca Evanilon Conceição Sena, o cacique Pissare da Aldeia Trevo do Parque, de Itamaraju.

O Projeto Kijêtxawê integra as iniciativas da Suzano nas comunidades da região em que a empresa atua, no sul da Bahia. O objetivo da empresa é deixar um legado no campo da educação, de modo a contribuir para a formação dos jovens indígenas, ampliando o acesso ao conhecimento e a valorização da cultura indígena nas comunidades envolvidas.

O Projeto de Educação Indígena Kijêtxawê contempla 15 aldeias que estão localizadas nos Territórios Indígenas de Barra Velha, Comexatibá e Águas Belas, distribuídas nos municípios de Itamaraju, Prado e Alcobaça, que abrigam cerca de 3.500 indígenas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

7 + um =