O esforço para a redução global das emissões de gases de efeito estufa, reiterada pela Cúpula do Clima, já encontra eco no Brasil. O chamado caminho verde exige uma melhor performance dos automóveis, impactando diretamente o setor de mobilidade urbana. Soluções para aliar tecnologia e sustentabilidade para a área de mobilidade urbana têm sido uma preocupação cada vez maior das organizações. Esta situação se reflete também nas empresas de aluguel de frotas corporativas, que têm se voltado para a aquisição de veículos elétricos para atender esta necessidade do mercado. Segundo Ricardo Soeiro, diretor-presidente da LM Frotas, uma das cinco principais empresas do segmento do país, a eletrificação das frotas já é uma realidade no Brasil, que acompanha a tendência mundial de buscar a eficiência energética de forma sustentável.

No final de 2020, a LM Frotas investiu R$1,5 milhão na compra de veículos Nissan Leaf Elétricos, iniciando um processo de substituição de uma frota de carros a combustão de um cliente que opera na área de energia elétrica. Com o olhar cada vez mais criterioso dos consumidores e do mercado em geral para questões ambientais, reduzir a emissão de poluentes da frota é uma forma eficiente que as empresas podem adotar para colocar em prática estratégias de sustentabilidade. “Além disso, o custo de manutenção de um veículo elétrico é menor que veículos a combustão, o que é também uma forma de gerar economia a médio e longo prazo”, afirma Soeiro.

A LM Frotas já iniciou um novo processo de mudança de veículos da frota de uma das maiores companhias de alimentos do mundo, que possui mais de 30 marcas em seu portfólio. “Esta empresa é nossa cliente há alguns anos, com uma frota de mais de cinco mil veículos. Mas já no primeiro semestre de 2021 a frota desta organização vai começar a contar com modelos elétricos e com zero capacidade de poluição”, disse Ricardo Soeiro.

Investimentos

O investimento em frotas de veículos elétricos promove a redução de emissão de gases poluentes e o custo no abastecimento, comparado com veículos que utilizam motor a combustão. Segundo o coordenador do curso presencial e semipresencial de Engenharia Elétrica da Unijorge, Raul Santos, outra grande vantagem é a redução da dependência do consumo das energias fósseis, pois os veículos elétricos são fáceis de alimentar a partir de fontes de energia locais e renováveis, reduzindo a dependência de petróleo estrangeiro, não sendo afetados se o fornecimento de combustível for interrompido ou se os custos de combustível aumentarem significativamente.

O coordenador ainda destaca que o custo da eletricidade necessária para carregar um veículo elétrico é 40% menor do que o custo de uso de gasolina para um veículo de tamanho semelhante que percorre a mesma distância. O gasto será ainda menor se o carregamento for a partir de um sistema solar fotovoltaico. Estes veículos têm também manutenção mais barata, mais fácil e menos frequente, pois possuem menos peças móveis do que um carro convencional a gasolina/diesel.

“Além das vantagens financeiras, os veículos elétricos são melhores para o meio ambiente, pois provocam menos poluição, já que têm zero emissões de escape. As empresas que investem nestes veículos estão ajudando a reduzir a quantidade de veículos com motores poluentes em circulação, o que possibilita a redução da emissão de gases prejudiciais. Isso melhora a qualidade do ar e diminui problemas de saúde causados pela poluição”, enfatiza Santos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

14 − sete =