Santander reduz juros e aumenta prazo de financiamento para energia fotovoltaica no agronegócio

Agência do Santander em Fernando de Noronha, com placas fotovoltaicas em seu telhado (Foto: Zaira Matheus)

Na Semana do Meio Ambiente, o Santander dá mais um passo para incentivar a sustentabilidade no agronegócio. A Santander Financiamentos melhorou as condições para os empreendedores rurais implantarem projetos fotovoltaicos em suas propriedades. As taxas mínimas de juros foram reduzidas de 0,79% a.m. para 0,74% a.m. e o prazo de parcelamento passou de 76 para 96 meses, com 120 dias de carência para pagamento da primeira parcela.

As facilidades do financiamento atendem empresas de todos os portes, além de pessoas físicas que planejam instalar o sistema em casa. Para ter acesso à linha de crédito não é necessário ser correntista Santander.

“O sol é uma das melhores fontes de geração de energia limpa no agronegócio, tanto por ser uma fonte inesgotável quanto pelo impacto ambiental mínimo. Nossa solução de financiamento foi pensada especialmente para que a maturação do investimento feito pelo produtor coincida com os crescentes benefícios trazidos por esta modalidade de produção energética, que pode chegar a reduzir em 90% a conta de luz”, explica André Novaes, diretor da Santander Financiamentos.

A carência de 120 dias antes do primeiro pagamento foi definida com base em dados de mercado que apontam esse prazo como o necessário para o início da produção efetiva da energia limpa. Neste período, o cliente pode aguardar por trâmites como importação dos equipamentos e instalação do sistema.

“O agronegócio brasileiro sempre se preocupou em otimizar sua produção, e a geração de energia fotovoltaica caminha exatamente nesta direção, não só por ir ao encontro da agenda de sustentabilidade do setor, mas também por ser comprovadamente viável do ponto de vista financeiro. O meio rural é responsável por apenas 13% da energia solar produzida no País (conforme dados da Absolar – Associação Brasileira de Energia Fotovoltaica), o esse dado mostra que há um grande mercado para a expansão dos painéis solares no campo”, completa Carlos Aguiar, diretor de Agronegócios do Santander Brasil.

Orçamento online

Por meio do site www.santander.com.br/agrosolar, os produtores têm a oportunidade de fazer orçamento do projeto digitalmente, com base no seu atual custo de energia elétrica, e ter o retorno em até quatro minutos da aprovação do crédito. A contratação do financiamento pode ser realizada nas agências do Banco ou diretamente com distribuidores de placas fotovoltaicas. Em seguida, já com o crédito aprovado, o +Vezes Santander – programa da Financiamentos que oferece produtos ou serviços com prazos maiores, sem usar o limite do cartão de crédito – libera o recurso para o distribuidor.

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Fotovoltaica (Absolar), de 2012 até o momento a produção de energia pela luz solar alcançou 8,4 GW, evitando que mais de 8,3 milhões de toneladas de gás carbônico (C0²) fossem emitidas no meio ambiente. Com 42% de participação, o Santander é líder no financiamento fotovoltaico no País, estimulando o crescimento do segmento de energia fotovoltaica no Brasil.

O Santander trabalha com as principais linhas do BNDES para investimentos em inovação para aumento de produtividade, melhoria de gestão e implementação de práticas sustentáveis. No caso da energia fotovoltaica, nos primeiros quatro meses de 2021, a Santander Financiamentos realizou 78% mais empréstimos do que o mesmo período em 2020, sendo 70% com pessoa física e 30% com empresas. A financeira trabalha, hoje, com mais de 1000 distribuidores e integradores de sistemas de geração distribuída solar habilitados a fazer a venda e o financiamento diretamente ao consumidor final.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

nove − 1 =