Setor de serviços da Bahia recua 2,6%

O volume do setor de serviços na Bahia apresentou, em março,  seu primeiro avanço na comparação com o mês anterior (2,9%), na série com ajuste sazonal, depois de três quedas consecutivas (desde dezembro de 2020). Foi o quarto melhor resultado do país e bem acima do nacional (-4%). Apesar do crescimento frente ao mês anterior, na comparação com março de 2020, o setor de serviços na Bahia segue em queda (-2,6%). Os dados são do IBGE.

O ritmo do recuo se reduziu em relação registrado em janeiro (-12,2%) e fevereiro (-14,2%), mas a queda se deu em cima do primeiro mês em que os efeitos econômicos da pandemia haviam sido sentidos no setor (março de 2020), quando já tinha sido registrada uma retração de -11,6%.

Nesse confronto, o volume dos serviços prestados no Brasil como um todo mostrou crescimento (4,5%), com avanço de 19 das 27 unidades da Federação. Os melhores resultados ocorreram em Mato Grosso (38,1%), Mato Grosso do Sul (19,5%) e Tocantins (15,9%), enquanto Piauí (-6,7%), Distrito Federal (-4,9%) e Sergipe (-4,7%) tiveram as quedas mais profundas.

No acumulado no primeiro trimestre de 2021, a Bahia segue com a maior queda no volume de serviços prestados no país (-9,8%). No Brasil como um todo, o setor também recua (-0,8%), com resultados negativos em 14 dos 27 estados.

No acumulado nos 12 meses encerrados em março, o resultado dos serviços na Bahia (-15,6%) também continua negativo e fica muito aquém do nacional (-8%), sendo o 4o pior entre os 27 estados. Nesse confronto, o setor apresenta variações positivas em apenas quatro unidades da Federação: Mato Grosso (2,2%), Amazonas (0,8%), Pará (0,3%) e Mato Grosso do Sul (0,2%).

Serviços prestados às famílias

O recuo no volume de serviços prestados na Bahia em março frente ao mesmo mês de 2020 (-2,6%) foi resultado de quedas ocorridas em três dos cinco grupos de atividades investigados pelo IBGE.

O maior recuo no mês veio, mais uma vez, dos serviços prestados às famílias (-20,7%), que também exerceram a principal contribuição negativa para o resultado geral do setor. A atividade tem resultados negativos mês a mês há um ano (desde março de 2020).

Em março/21 o segmento mostrou desaceleração no ritmo de queda em relação ao registrado em fevereiro (quando havia recuado -31,5%). Entretanto, a queda se deu frente a um mês em que já tinha sido registrada forte retração: em março de 2020, os serviços prestados às famílias haviam caído-35,5%, na Bahia.

Das duas atividades em alta em março, o desempenho dos transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (2,6%) foi decisivo para frear o recuo geral dos serviços no estado. O segmento mostrou o primeiro avanço no ano de 2021 e é o que tem mais peso na estrutura do setor.

Apesar disso, na Bahia, todos os cinco grupos de atividades de serviços mostram queda acumulada no primeiro trimestre de 2021, e os transportes ficam com o segundo pior resultado (-9,0%), melhor apenas que os serviços prestados às famílias (-23%).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × 5 =