Profissão de streamer cresce: descubra como começar a transmitir

A profissão de streamer cresceu de forma acelerada nos últimos anos em todo o mundo (Fotos: Divulgação)

Com o surgimento de plataformas como YouTube e especialmente Twitch, a profissão de streamer cresceu de forma acelerada nos últimos anos. Esses profissionais só precisam de alguns equipamentos e muito carisma para começar e aqui será possível descobrir um pouco mais sobre essa nova carreira 100% digital.

Crescimento acelerado na última década

Segundo dados divulgados pelas empresas Comscore e Much Needed, com apenas cerca de uma década de existência Twitch já se tornou o 31º site mais popular do mundo. Seus usuários são principalmente millenials (71%), que estão divididos entre 19% de mulheres e uma maioria de 81% de homens.

A idade média dos usuários é de 21 anos e a maior parte deles (35%) utiliza seus smartphones para acompanhar em média 95 minutos de streamings de diversos gêneros.

Para atender todo esse público em busca de entretenimento de qualidade, hoje em dia já podem ser encontrados mais de 5 milhões de usuários cadastrados como produtores de conteúdo na plataforma.

Conhecidos como streamers, esses profissionais contam com canais que apresentam desde gameplays amadoras e profissionais de videogames ou e-Sports até música, ASMR e poker.

Diversas histórias de sucesso inspiram novos streamers a começar a transmitir

No momento existem diversas histórias de produtores de conteúdo de sucesso que se tornaram milionários com transmissões na plataforma e os 10 maiores streamers da Twitch chegaram até mesmo a figurar em listas das personalidades mais ricas e influentes do mundo.

Por exemplo, segundo a Forbes o streamer Tyler Bevins, mais conhecido pelo apelido “Ninja”, recebeu mais de 17 milhões de dólares apenas em 2019 e outros nomes do topo como Turner Ellis Tenney (Tfue), Michael Grzesiek (Shroud) e Rubén Doblas Gundersen (Rubius) também apresentam ganhos parecidos.

No Brasil não é diferente e junto da profissionalização dos e-Sports no país cada vez mais streamers nacionais têm conquistado grandes números. Existem diversos casos que poderiam ser mencionados, mas um dos grandes destaques é o ex-frentista Lucio dos Santos Lima.

Com o apelido de “Cerol” nas redes, Lima atualmente conta com mais de 1,3 milhões de seguidores e costuma atrair de 10 a 20 mil fãs em cada uma das suas transmissões, dados que o tornaram o maior streamer de Free Fire no Brasil.

Como começar a transmitir nas plataformas

 

Um dos primeiros passos para começar a transmitir é possuir um bom setup. Os equipamentos necessários variam, mas para quem for transmitir jogos montar seu quarto gamer é essencial.

Tudo começa com conforto e uma cadeira gamer ou de escritório bem ergonômica é essencial. O preço dos modelos pode variar muito, então é necessário gastar um bom tempo pesquisando para ter certeza de obter o melhor custo-benefício.

No momento alguns dos modelos mais utilizados pelos streamers são as cadeiras TGC12 – ThunderX3, Ergonomic Yama1 – ThunderX3, Mad Racer V8 Turbo – Pcyes e Sti Master – Pcyes, mas cada uma possui um foco diferente então é importante definir qual é a prioridade antes de adquirir um determinado modelo.

Depois disso é preciso investir em um computador capaz de rodar os jogos ou programas necessários para transmitir, uma internet com uma conexão rápida e estável, um microfone ou headset de qualidade capaz de captar a voz de forma adequada e uma câmera de alto nível para gravar o streamer.

Existem inúmeras configurações possíveis de equipamentos, mas independentemente da escolha todas precisam atender às recomendações mínimas da plataforma de streaming.

Considerando que a Twitch é a mais popular no momento, qualquer pessoa que queira começar a transmitir precisa ter no mínimo um computador com Intel Core i5-4670, memória DDR e SDRAM de 8GB e Windows 7.

Já em relação ao microfone também é possível escolher diversos modelos, mas ele precisa ter um codificador e um codec AAC-LC mono ou Stereo com no máximo 160 Kbps (AAC) de rácio de bits. Entretanto, para garantir a melhor compatibilidade possível é preciso definir essa rácio de bits em 96Kbps.

Em relação à câmera as duas mais recomendadas são a Sony HXR MC2000 e a Sony HXR NX5, mas um streamer pode utilizar a Lifecam Microsoft HD3000 ou a Logitech HD Pro C920 e obter ótimos resultados em suas transmissões.

Finalmente é necessário utilizar um software para transmitir os jogos em si e aqui a escolha é simples. Os dois programas mais utilizados são o Open Broadcaster Software (OBS) e o Xsplit Gamecaster.

Ambos possuem praticamente as mesmas funcionalidades, de forma que o programa a ser utilizado depende muito mais das preferências pessoais do streamer do que de qualquer outro requisito técnico ou funcional.

Com todos esses equipamentos claramente definidos, resta apenas escolher o nicho em que se quer atuar e começar a transmitir. Atualmente os mais populares são jogos e e-Sports de maneira geral, mas devido ao grande número de usuários das plataformas é possível optar por muitos outros e encontrar o sucesso.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 + 17 =