A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) lançou nesta terça-feira (18), em Brasília, o projeto da rota de ciclismo Salvador-Aracaju. A partir de um trajeto ecoturístico entre as duas capitais nordestinas, o empreendimento vai promover o turismo, a mobilidade, a economia e os arranjos produtivos locais nos municípios baianos e sergipanos ao longo do percurso.

“Recebemos a demanda para condução dos estudos de viabilidade técnica e ambiental para implantação de uma rota de ciclismo entre Salvador e Aracaju. Hoje a ligação rodoviária entre as duas cidades têm aproximadamente 320 quilômetros, com diversos obstáculos para prática do ciclismo e sem infraestrutura de apoio aos ciclistas”, afirmou o diretor-presidente da Codevasf, Marcelo Moreira.

Segundo Marcelo Moreira, o litoral norte da Bahia e o litoral sul de Sergipe oferecem atrativos e oportunidades que poderão ser aproveitados por turistas e que também beneficiarão moradores de comunidades rurais e núcleos urbanos por onde a rota de ciclismo passar. “Já temos um acordo de cooperação com a Embratur para que a Codevasf também promova ações de desenvolvimento voltadas para o turismo na área de atuação da empresa”, disse.

As etapas previstas no projeto envolvem estudo de viabilidade (EVTEA), estudos ambientais, projeto básico e executivo e execução das obras. O traçado da rota de ciclismo, que será definido após a elaboração dos estudos, terá início e fim no Farol da Barra, em Salvador, e na Praia dos Artistas, em Sergipe.

Entre as alternativas de percursos a serem analisadas estão a de uma ciclovia beira-mar, uma ciclofaixa paralela às rodovias BA-099 e SE-100 e um acostamento-ciclofaixa nas duas rodovias – ambas opções com rotas para acesso a praias e áreas urbanas na beira-mar.

“Essas ideias conceituais serão detalhadas no estudo de viabilidade para identificarmos a alternativa mais viável, não só financeiramente, mas com melhor benefício para a população e com menos impacto ambiental”, explicou o gerente de Estudos e Projetos, da Área de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura da Codevasf, Emílio de Souza Santos.

Durante o lançamento do projeto, a diretora-presidente da União de Ciclistas do Brasil (UCB), Ana Luiza Carboni, apresentou o papel do ciclismo no contexto brasileiro. “A mobilidade ativa pode ter um papel importante na redução das emissões de gases de efeito estufa, substituindo as viagens de carro e moto, especialmente em viagens curtas, e interagindo com o transporte coletivo público”, destacou.

Também participaram do evento, que foi transmitido pelo canal da Codevasf no YouTube, especialistas em turismo, mobilidade e na prática do ciclismo, gestores municipais e estaduais e parlamentares da bancada da Bahia e de Sergipe, entre outras autoridades.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

três × dois =