A moqueca de camarão é um dos pratos mais tradicionais da culinária baiana (Fotos: Cris Marco)

Em 2016, quando criei o projeto Cozinha Inclusiva, procurei mostrar que cozinhar é para todos, que é possível se comer bem, sem gastar tanto quanto se pensa. Basta ter disposição, encarar a cozinha sem medo e buscar transformar seu próprio alimento.

Claro que comprar a comida pronta é mais confortável e cômodo, mas esse conforto e comodidade a tornam, com justiça, mais cara. Afinal, alguém irá comprar e preparar pra você! Mas é na nossa cozinha que podemos perceber a relação entre custo, preço e valor, e transformar 30 reais de custo, em um prato que vale 100, ou até mais!

Agora irei apresentar a vocês esta relação, mas não de uma forma técnica, e sim, de uma maneira bem baiana, prática, útil e, principalmente, saborosa!

Moqueca de camarão em 9 passos

1 – Corte 3 ou 4 rodelinhas de cebola média (roxa, de preferência), 3 ou 4 rodelinhas de tomate e 3 ou 4 rodelinhas de pimentão. Deixe reservado pra finalizar a moqueca.

2 – Bata o restante da cebola, do tomate e do pimentão no liquidificador, com uma xícara de caldo de camarão, 1 pimenta de cheiro, 1 pimenta dedo de moça sem semente e bastante coentro.

Até aqui você já investiu em torno de 3 reais na proporção de compra, fique atento! O caldo de camarão não tem custo direto porque ele será contabilizado no próximo passo.

3 – Grelhe 200g de camarão limpo já temperado no azeite de oliva, pimenta do reino e sal. Reserve.

A proteína normalmente é o item mais caro. O quilo do camarão médio está na faixa de 40 reais. Como o camarão tem perda alta, cerca de 50% para obter somente seu filé, então agora já temos um investimento aproximado de 20 reais, acumulativo.

4 – Numa panela de ferro fundido ou de barro, despeje a mistura do liquidificador, mexa e aguarde fervura.

5- Acrescente 200ml de leite coco, fresco de preferência.

Opa, mais um custo agora! Em torno de 5 reais uma garrafinha de leite de coco. Sendo fresco, é um pouquinho só mais caro. E pra você não se perder nas contas, 25 reais até agora.

6 – Coloque mais umas folhinhas de coentro grosseiramente picadas.  Mais 1 real pra conta. 26 reais até então.

7 – Levantando fervura, coloque o azeite de dendê aos poucos até a cor dourada prevalecer. De 4 a 5 colheres de sopa, em média.

8 – Ferveu? Coloque o camarão e ajuste o sal e a pimenta do reino. Pingue umas gotinhas de limão e já pode servir com uma farofinha.

Agora fecha a conta aí! Com o dendê, o limão, a farinha, o sal, o azeite de oliva, a pimenta, o gás, a energia e as eventuais perdas, podemos considerar um custo final arredondado de 30 reais pela moqueca de camarão com farofinha.

Em um restaurante, esse custo pode ser reduzido pela quantidade de matéria prima comprada, porém pode ser aumentado pelos custos fixos, principalmente estrutura física e mão de obra.

Em suma, uma moqueca de camarão que custa 30 reais pode ter o preço de 100 em um restaurante. Lembre-se dos custos, do lucro que é natural do negócio, da conveniência e comodidade agregada.

É aí que está o valor! O quanto você está disposto a pagar por tudo isso? O preço de 100 reais pode ser alto, mas pode ainda ser baixo, depende do valor que você percebe.

Então, se você não quer pagar tanto, ou não consegue ver o real valor de um prato de restaurante, o negócio é ir pra cozinha!

Sim, a nossa Cozinha tem seu Valor.

Aqui em nossa coluna iremos encontrar uma diversidade de temas, sempre associados à gastronomia, que irão desde receitas e dicas, até reflexões e relatos de vida.

Sou ProfChef CRIS MARCO e desejo a você um fim de semana de Valor.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

18 − 18 =