Produção da indústria baiana tem a maior queda do país, diz IBGE

A produção industrial da Bahia caiu 3,2% em janeiro frente ao mês anterior, na comparação com ajuste sazonal.  Este foi a segunda queda consecutiva para o estado nesse comparativo e o pior resultado para um mês de janeiro desde 2015 (-8,6%). Com a retração, a indústria baiana ficou abaixo do desempenho nacional no mês (0,4%). O setor fabril da Bahia ainda não se recuperou das perdas registradas desde que se iniciou a pandemia da Covid-19, mantendo uma queda acumulada na produção de 10,5% entre os meses de março de 2020 e janeiro de 2021.

Além de apresentar resultado negativo frente ao mês imediatamente anterior, em relação a janeiro de 2020, a produção industrial baiana apresentou o maior recuo do país (-13,9%), empatado novamente com o Mato Grosso. Esta foi a primeira queda para o estado nessa comparação após dois resultados positivos, em novembro (0,6%) e dezembro (0,4%). Os dados são do IBGE.

O resultado negativo apresentado na Bahia foi bem pior que o nacional (2,0%) e um dos 7 recuos registrados entre os 15 locais investigados. Os melhores devempenhos na comparação entre janeiro21/janeiro20 ficaram com o Pará (13,3%), Paraná (11,5%) e Santa Catarina (10,1%).

Nos 12 meses encerrados em janeiro, a indústria na Bahia também se mantém no negativo (-7,1%), frente aos 12 meses imediatamente anteriores. O resultado também está pior que o verificado no Brasil como um todo (-4,3%).

O quadro a seguir mostra as variações da produção industrial brasileira e regional em janeiro de 2021.

Veículos  e produtos derivados de petróleo 

O recuo na produção industrial da Bahia na comparação com janeiro de 2020 (-13,9%) refletiu as quedas tanto na indústria extrativa (-2,3%), sétimo recuo consecutivo, quanto na indústria de transformação (-14,5%), primeira queda após dois meses de alta.

Houve recuos em 7 das 11 atividades da indústria de transformação investigadas separadamente no estado, com destaques para a fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias (-88,5%) e a fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis (-15,9%).

Foram elas que mais puxaram a produção industrial baiana como um todo para baixo, em janeiro. O segmento de derivados de petróleo é o mais representativo na estrutura industrial baiana e teve, em janeiro, seu segundo resultado negativo consecutivo.

Já a indústria automobilística da Bahia recua há um ano, caindo seguidamente desde fevereiro de 2020 e, em janeiro, apresentou o seu pior resultado desde maio de 2020 (-97,6%). Entre as 4 atividades industriais com aumento de produção em janeiro 21/ janeiro 20 na Bahia, os principais destaques, em contribuição para segurar a queda da indústria baiana no mês, vieram da metalurgia (71,6%) e da fabricação de outros produtos químicos (6,8%).

A maior taxa positiva veio da fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (117,7%), porém esta atividade possui um peso menor na indústria do estado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

19 − 19 =