Setor hoteleiro de Salvador tem taxa de ocupação de 54,25% em janeiro

O aumento dos casos da covid influenciou diretamente o desempenho da hotelaria de Salvador no mês de janeiro, tradicional período de alta estação. A taxa de ocupação de 54,25% é a menor já observada na última década, ficando bem abaixo da verificada no mesmo período do ano passado (73,50%) e de anos anteriores, tradicionalmente oscilando em torno dos 70% nesse mês. O Revpar (indicador ponderado entre a Taxa de Ocupação e a Diária Média) fechou em R$ 201,69, sendo que em 2020 foi de R$ 256,60.

Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (ABIH-BA),  Luciano Lopes, a reincidência dos casos de covid abalaram mais uma vez os planos de recuperação e boas apostas para a economia baiana. “Janeiro é um mês que sempre representou o pico de ocupação da hotelaria, trazendo grande e diversificada demanda para os hotéis de Salvador. Este ano, lamentavelmente, está sendo diferente”.

Soma-se às dificuldades observadas, o impacto da pandemia nos voos domésticos e internacionais. Segundo dados da Anac (Agência Nacional da Aviação Civil), o número de passageiros no aeroporto de Salvador, em 2020 (3.650.994),  representou a metade dos viajantes em 2019 (7.323.542), tendo um efeito direto na ocupação dos hotéis. Em pleno janeiro, a tradicional ocupação de argentinos, chilenos e europeus deu lugar a turistas provenientes de Salvador, interior da Bahia e estados limítrofes.

Diária

O aumento da diária média (R$ 371,79) em relação a janeiro de 2020 (R$ 349,11) reflete a reincorporação na amostra dos hotéis de luxo e o aumento real da diária de alguns hotéis de lazer que vêm sendo procurados por famílias da cidade que buscam alternativas de descanso em localizações próximas e acessíveis por carro, influenciando na ocupação nos finais de semana (57,85%) que tem sido maior do que a dos dias de semana (52,54%).

“Embora ainda estejamos vivendo tempos difíceis, há o sentimento de que o período mais difícil foi superado. A chegada da vacina nos traz esperança e nos dá força para continuar lutando pelo setor que é tão importante para a nossa Bahia. Seguimos na busca constante para a recuperação da hotelaria, manutenção dos empregos e sustentabilidade dos negócios”, finaliza Luciano Lopes.

Os números são  fruto da Pesquisa Conjuntural de desempenho (Taxinfo), realizada pela ABIH. O levantamento é digital e os dados são fornecidos diariamente pelos hotéis ao Portal Cesta Competitiva. A média resultante constitui indicador para avaliar a evolução da atividade de hospedagem na capital baiana.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

19 − 8 =