Rede Ale pretende abrir 21 novos postos na Bahia até o fim do ano

Ale pretende conquistar 150 postos e ampliar em 9% o volume de combustíveis comercializado no país (Foto: Marcos Leão)

Em 2021, quando completa 25 anos de atuação, a distribuidora de combustíveis Ale pretende conquistar 150 novos postos para a rede que mantém em 21 estados e no Distrito Federal. Em relação ao volume de combustíveis, a meta é chegar a aproximadamente 4,2 bilhões de litros, 9% a mais que o registrado em 2020. O faturamento deve crescer 11% sobre os cerca de R$ 13 bilhões apurados no ano passado. Na Bahia, a meta é fechar contratos para a implantação de 21 novas revendas até o fim do ano.

Um dos postos inaugurados recentemente na Bahia é o Piraí, localizado em Feira de Santana. A revenda prevê comercializar, inicialmente, 150 mil litros de combustíveis por mês. Em breve, além de combustíveis, o estabelecimento contará com loja de conveniência e farmácia, entre outros serviços.

“Começamos a parceria com a companhia Ale há cerca de quatro anos, por meio dos nossos postos bandeira branca. Logo vimos o potencial de crescimento da empresa na Bahia e passamos a adotar a bandeira. Hoje, temos 14 postos bandeirados e a previsão é crescer ainda mais”, declara Rodrigo Torres, sócio do Posto Piraí. Ele revela que já tem previsão para abrir mais três postos Ale neste ano. “Estamos finalizando a construção de um que será aberto em abril e temos duas inaugurações planejadas para o segundo semestre”, conta.

De acordo com o diretor comercial da Ale, Renato Rocha, os bons resultados obtidos no primeiro mês de 2021 reforçam as perspectivas positivas para o ano. Em janeiro, foram inaugurados 20 postos Ale em cinco estados: Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul. “Esperamos uma retomada da economia e, com criatividade e agilidade, estamos oferecendo aos empresários do setor de combustíveis possibilidades de negócios em que o equilíbrio no ‘ganha ganha’ é um dos diferenciais”, ressalta.

Grandes consumidores

O segmento de grandes consumidores (COF) —composto por empresas de transportes, locadoras de veículos, agroindústrias, mineradoras, fazendas, entre outros setores com grande demanda para abastecimento de frotas e equipamentos— também é foco de crescimento neste ano. Depois de chegar ao fim de 2020 com 134 novos clientes com contrato de fornecimento exclusivo Ale, a meta em 2021 para esse segmento é conquistar mais 144. Além disso, faz parte dos desafios para este ano a manutenção dos cerca de 6,2 mil clientes ativos, para os quais a empresa é responsável, mensalmente, pelo abastecimento integral ou parcial.

Renato Rocha diz que os bons resultados obtidos no primeiro mês de 2021 reforçam as perspectivas positivas para o ano (Foto: Douglas Lucena)

“Acreditamos que este ano vai representar mais oportunidades e melhores chances de crescimento, além de um mercado mais saudável. Estamos preparando novidades e projetando a expansão do nosso programa de recompensas Livelo, das lojas de conveniência, das unidades de serviços automotivos, em mais um ano de ampliação da parceria com a Mobil, e, claro, fortalecendo e capacitando nossa revenda e a equipe dos postos da rede”, afirma o presidente da Ale, Fulvius Tomelin. “Diversas novidades estão por vir ainda neste ano.” A meta para 2021 é alcançar 30 novas lojas de conveniência com a marca exclusiva Ale.

Ale cresceu 6% em 2020

Apesar de um cenário adverso, em função dos impactos da pandemia de Covid-19 na economia, a Ale obteve resultados positivos no ano passado. Enquanto o mercado nacional de distribuição de combustíveis caiu 6%, a companhia cresceu o mesmo percentual (6%) e conquistou 143 novos postos.

Preservamos a proximidade com os nossos clientes, entendendo as suas necessidades em termos de logística, segurança, capacitação, entre outros, de forma a oferecer sempre o melhor pacote de serviços

No ano passado, assim que houve os decretos de lockdown em quase todo o país, a equipe Ale adotou o modelo de home office. “A adaptação à modalidade ocorreu de forma ágil e toda a nossa equipe seguiu integrada por meio das plataformas virtuais de relacionamento, que também foram aceleradas pela pandemia. Avaliamos que nossos bons resultados ocorreram devido a foco, persistência, resiliência e união de nossa equipe”, declara Tomelin.

Segundo ele, várias práticas adotadas na pandemia serão mantidas, como a modalidade de trabalho híbrido, mesclando presencial e virtual, além da realização de lives, reuniões on-line e novas estratégias para as lojas de conveniência, com a consolidação do delivery. “Teremos uma maior digitalização de todos os processos”, complementa.

Proximidade

O presidente da Ale ressalta que um dos diferenciais da companhia no mercado, a proximidade, foi mantida mesmo com a pandemia. “Preservamos a proximidade com os nossos clientes, entendendo as suas necessidades em termos de logística, segurança, capacitação, entre outros, de forma a oferecer sempre o melhor pacote de serviços”, revela.

Segundo Tomelin, a customização do fornecimento, de acordo com o perfil de cada cliente, é um dos principais fatores para a fidelização e conquista de novos clientes no B2B. “Uma vez que entendemos as necessidades de nossos clientes e nos adaptamos para supri-las, com recursos como o aplicativo, entregas rastreadas, vendas ominchannel, comunicação ágil e resolutiva, além do atendimento virtual/digital da nossa equipe comercial, podemos oferecer um serviço melhor, mais rápido e mais eficiente.”

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

um × três =