Os catadores de materiais recicláveis são responsáveis por coletar 90% de tudo que o Brasil recicla. Normalmente, esses trabalhadores utilizam carroças para armazenar e transportar o que recolhem, podendo chegar a carregar mais de 500 kg de uma só vez. Pensando na saúde desses profissionais, a ONG Pimp My Carroça criou o projeto Carroças do Futuro.

O objetivo do projeto é desenvolver protótipos de carroças e triciclos elétricos com baixo custo e potencial de escalabilidade, que sejam não poluentes e sirvam como alternativa à tração humana. O projeto também desenvolve carroças utilizando materiais alternativos e mais sustentáveis na estrutura. A ideia é proporcionar melhores condições de trabalho e de renda para as catadoras e catadores, além de promover benefícios para a qualidade de vida e saúde destes profissionais, por não sobrecarregá-los fisicamente na execução do trabalho.

“O Carroças do Futuro concluiu a versão da carroça elétrica e realizou neste mês de janeiro testagens com os catadores. A carroça foi bem avaliada e estamos animados para levar as carroças para as ruas”, disse Adriane Andrade, coordenadora do projeto Carroças do Futuro. “Pretendemos replicar este protótipo de carroça elétrica através da aplicação de projetos piloto em microrregiões para avaliarmos o desempenho das carroças e coletarmos evidências referentes ao desempenho do protótipo, ao aumento da capacidade da coleta seletiva e sobre as melhorias nas condições de trabalho e renda dos catadores”, concluiu. Vale frisar que, para a continuidade e ampliação do projeto, a organização está em busca de novos parceiros e investidores.

A versão aprimorada da carroça elétrica possui velocidade máxima de 5 km/h, motor elétrico com a função ré e itens de segurança – freio, buzina, setas, rastreadores via GPS e farol dianteiro e traseiro. Sua capacidade de carga suporta 400 Kg. A recarga das baterias possui a duração de 6h e são recarregáveis em tomada comum. Em 2020 o projeto também disponibilizou quatro triciclos elétricos para a utilização dos catadores e foram coletados feedbacks para a realização dos aprimoramentos necessários.

Os testes têm como objetivo avaliar os protótipos para que atendam às necessidades dos catadores de materiais recicláveis, valorizando e potencializando o trabalho desses profissionais que prestam um serviço essencial para limpeza urbana e preservação ambiental.

Carroças do Futuro visa melhorar a condição de trabalho, renda e saúde dos catadores e catadoras de materiais recicláveis (Fotos: Divulgação)

Carroça de bambu

Em janeiro de 2021 o projeto avançou na criação de uma carroça de bambu: a proposta é avaliar a resistência desse material junto ao trabalho dos catadores nas ruas. O bambu é um material mais sustentável, que promove benefícios ecológicos em sua produção e reduz a necessidade do uso de ferro extraído por mineradoras para sua estrutura.

“O Carroças do Futuro é uma inovação sustentável para ajudar o trabalho dos catadores de materiais recicláveis autônomos a trabalharem com maior eficiência, gerar maior renda e promover qualidade de vida. É a valorização para quem de fato realiza a coleta seletiva. Eles trazem uma solução para nossa cidade e hoje não são reconhecidos, trabalhando de forma insalubre e pouco remunerada”, afirma Adriane.

O Carroças do Futuro foi iniciado em 2019 com a parceria entre o Instituto Clima e Sociedade (ICS) e Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo (IPT), e a partir de 2020, em seu segundo ano de execução, contou com a parceria da Nestlé. Em 2020 também foi elaborado o plano de negócios do projeto em parceria com a 3M e a Pyxera Global – Impact Program.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 × dois =