Inflação na RMS atinge o menor patamar para janeiro desde o início do Plano Real

O  Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medida oficial da inflação, ficou em 0,26%e, em janeiro,  na Região Metropolitana de Salvador (RMS), desacelerando de forma considerável em relação à taxa de dezembro (0,92%). O resultado foi o menor para um mês de janeiro na RMS desde o início do Plano Real.

O índice da RMS ficou bem próximo ao nacional (0,25%) e foi o 10º  entre as 16 áreas investigadas separadamente pelo IBGE. As taxas mais altas se apresentaram em Campo Grande/MS (0,53%) e na Região Metropolitana de Recife/PE (0,50%).

Por outro lado, segundo o IPCA, Goiânia/GO (-0,17%) e a Região Metropolitana de Belém/PA (-0,03%) tiveram deflações em janeiro. Nos 12 meses encerrados em janeiro, a inflação na RM Salvador acumula alta de 4,23%. Está abaixo dos 4,31% registrados nos 12 meses encerrados em dezembro e também menor que o índice acumulado no país como um todo (4,56%).

Altas nos alimentos e nos transportes

Dentre os nove grupos de produtos e serviços que compõem o IPCA, seis apresentaram altas em janeiro, na Região Metropolitana de Salvador.

O grupo de alimentos e bebidas (1,08%) apresentou a maior alta e foi o que mais colaborou para puxar a inflação para cima na RMS, com a alimentação no domicílio (0,85%) sendo o principal fator para esse aumento. A alimentação fora do domicílio (1,69%), apesar de apresentar alta maior, teve um peso levemente menor para o resultado do grupo.

Dentre os alimentos, o lanche fora de casa (4,57%) e a cebola (29,51%) foram os que apresentaram o maior peso inflacionário, com o último também sendo o item que teve o maior aumento no mês.

O grupo transportes (0,52%) teve o terceiro maior aumento percentual na RMS, mas foi o segundo mais relevante para puxar o IPCA para cima na região. Isso se deu por conta do aumento nos combustíveis (4,10%), em especial a gasolina (4,26%), que foi o item que mais colaborou para a alta da inflação no mês, na Região Metropolitana de Salvador.

Por outro lado, neste mesmo grupo, o transporte público (-5,10%) teve queda e a passagem aérea (-25,52%) foi o item com maior deflação em janeiro. O grupo que apresentou o segundo maior aumento percentual no IPCA do mês, na RMS, foi o de despesas pessoais (0,61%), impulsionado pela alta na hospedagem (4,63%).

Por outro lado, três grupos de produtos e serviços apresentaram queda média nos preços em janeiro, na RM Salvador.

O grupo habitação (-1,40%) teve a maior redução, sendo também o principal freio inflacionário. Isso se deu muito por conta da redução da energia elétrica residencial (-6,12%), item que mais colaborou para segurar o IPCA.

Já o grupo comunicação (-0,28%) foi o segundo principal freio inflacionário no mês por conta da redução do valor do aparelho telefônico (-1,33%).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

três × um =