Fieb e Sebrae vão impulsionar internacionalização e acesso a crédito

O superintendente do Sebrae, Jorge Khoury, e o presidente da Fieb, Ricardo Alban, assinam convênio (Foto: Marina Teixeira)

Dirigentes da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb) e do Sebrae assinaram, nesta terça-feira (3), convênio de cooperação técnica e financeira que estabelecem a ampliação de capacitações de micro e pequenas empresas (MPE) para a internacionalização e acesso ao crédito, além da realização de um estudo da cadeia da construção civil, com ênfase nos segmentos de serraria, móveis e cerâmica.

Para o presidente da Fieb, Ricardo Alban, em meio à crise, a união das organizações é fundamental num processo de retomada econômica. “Torna-se cada vez mais importante unir os esforços dos vários braços do Sistema S, para contribuirmos com a volta do nível de empregabilidade do país”.

“Se antes as empresas já precisavam de apoio, hoje necessitam ainda mais. Juntos, teremos um resultado maior, buscando minimizar os problemas que a pandemia trouxe para a nossa economia”, afirmou o superintendente do Sebrae, Jorge Khoury.

Torna-se cada vez mais importante unir os esforços dos vários braços do Sistema S, para contribuirmos com a volta do nível de empregabilidade do país

Com valor de cerca de R$ 1,6 milhão (sendo R$ 1,117 milhão de recursos do Sebrae e R$ 478,8 mil em contrapartida financeira e econômica da Fieb), o convênio tem duração de um ano. Parte dos recursos será utilizada para ampliar capacitações de empresas que desejam ingressar nos mercados internacionais e acessar alternativas de crédito.

“Em Salvador, Feira, Conquista, Ilhéus, Juazeiro, Jequié e Barreiras, serão contratados analistas que darão orientação para obtenção de crédito. A meta é fazer com que 420 micro e pequenas empresas dessas cidades consigam aderir às alternativas existentes”, explica o superintendente da Sebrae, Vladson Menezes.

De acordo com o gerente da Unidade de Projetos Especiais do Sebrae, Vitor Lopes, a ideia é aumentar a qualidade das empresas para que estas ganhem competitividade. “Vamos aumentar a capilaridade, chegando a mais empresas no interior do estado, que mais precisam de orientação, informação e expertise”, pontuou.

Estudo

O valor do convênio também contempla a realização de um diagnóstico sobre o panorama atual da construção civil na Bahia, com ênfase nas MPE dos segmentos de cerâmica, móveis e serraria, com o objetivo de traçar uma espécie de mapa com identificação de entraves e oportunidades para as empresas.

Ao final do estudo serão propostas ações e incentivos para atração de empresas para suprir os elos faltantes; formas de inserção das MPEs nos programas federais, tais como: Programa Casa Verde Amarela e na nova política de saneamento; políticas públicas de geração de valor da cadeia da construção na Bahia.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

16 + dezessete =