Consumo nas classes C e D avançou em 21% na Bahia, mostra pesquisa

Com a flexibilização das atividades econômicas, gastos em lojas físicas aumentam em detrimento do e-commerce

A primeira edição da Pesquisa de Hábitos de Consumo das Classes C e D da Superdigital, fintech do Grupo Santander, aponta que os baianos gastaram 21% a mais no 4º trimestre de 2020 sobre o período anterior. Número bastante superior à média dos brasileiros, com 9%.

O levantamento foi feito com os clientes da Superdigital, que reúne mais de 1,7 milhão de contas ativadas em todas as regiões do Brasil. A pesquisa, baseada nas transações feitas pelos clientes, será mensal a partir de março, com o objetivo de traçar o perfil do consumidor destas classes sociais. Além da Bahia, outros sete estados tiveram os desempenhos observados com recortes regionais: Pernambuco (32%), Ceará (20%), Espírito Santo (16%), Rio de Janeiro (22%), Minas Gerais (19%), Paraná (23%) e Rio Grande do Sul (19%).

Na Bahia, a pesquisa de consumo das classes C e D mostra que os gastos que mais cresceram foram os com restaurantes (24%), hotéis e motéis (22%), combustível (17%), transporte (17%) e companhias aéreas (14%). Na outra ponta, recuaram os gastos com serviços (-24%), diversão e entretenimento (-23%), rede online (-15%), telecomunicações (-8%) e drogaria e farmácia (-3%).

“Os dados apontam para uma recuperação no nível de consumo das famílias das classes C e D, ajudada pelo pagamento das últimas parcelas do auxílio emergencial e 13º salário”, afirma Luciana Godoy, CEO da Superdigital no Brasil.

Transporte

Se avaliar os dados por setor, quando observamos os números nacionais, a maior variação registrada entre o 4º trimestre ante o período anterior é em transporte, que cresceu 19%, seguido de restaurante (13%), lojas de roupas (11%), supermercado (10%), companhias aéreas (7%) e combustível (6%). No segmento de serviços, que inclui correios, estacionamento, cartório, dentista, academia, ótica, entre outros, recuou 17%. Rede online, que considera aplicativos de delivery de comida, de streaming, entre outros, caiu 13%. Já hotéis e motéis recuaram 11%.

Considerando apenas o quarto trimestre, 31% do consumo foram em supermercados, seguido por restaurantes (12%), lojas de artigos diversos (11%), serviços (10%), transporte (6%), entre outros.

O levantamento também apresenta dados sobre o comportamento de compras. Nos três últimos meses de 2020, as compras online recuaram em quase todos os itens. Vale destacar a queda de 13% em serviços e 5% em restaurante. Ou seja, no 3° trimestre as pessoas estavam consumindo mais pela internet.

“É importante notar também que, com a abertura gradual do comércio, houve um acréscimo nas compras físicas em detrimento do e-commerce, fato já esperado. Mas podemos notar que o recuo não foi tão grande, e parte substancial do consumo ainda permanece pelas vias online, o que mostra que a mudança de comportamento foi mesmo acelerada pela pandemia e as compras em e-commerce vieram para ficar”, explica a executiva.

Sobre a Superdigital

A Superdigital (www.superdigital.com.br) é uma das fintechs do Banco Santander com atuação global. Possui mais de 1,7 milhão de clientes e processa mais de 70 milhões de transações por ano. O propósito da empresa é democratizar os serviços bancários: em apenas cinco minutos, qualquer pessoa pode abrir uma conta e gerenciar sua vida financeira sem burocracias, pelo celular.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

2 × três =