Cervejaria IBB inicia implantação de fábrica em Catu a partir de março

João Leão, o prefeito Pequeno Sales e o executivo da empresa Ney Evangelista durante encontro na SDE

Após assinar protocolo de intenções com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), no mês passado, a Indústria Baiana de Bebidas (IBB) assinou termo de intenções com o município de Catu, nesta quinta-feira (11). O documento foi assinado pelo prefeito Pequeno Sales, o executivo da empresa Ney Evangelista e o vice-governador João Leão, secretário da pasta, que testemunhou o compromisso. A indústria vai fabricar cerveja de malte e chope, com os rótulos Brussels e Estrella Sírius.

A IBB prevê investir aproximadamente R$ 250 milhões e terá capacidade produtiva de até 1,2 milhão de hectolitro (hl) por ano. “Abrimos o ano assinando o protocolo de intenções desta cervejaria e agora anunciamos a data de início da implantação. Boa notícia para a Bahia e para o povo de Catu. Trazer uma indústria deste porte para o estado é potencializar a economia e a geração de emprego e renda da região”, destaca o vice-governador João Leão, secretário da SDE.

Com a formalização do termo municipal, o gestor pode dar seguimento ao processo de desapropriação da área destinada a receber a indústria. Segundo o prefeito, os encaminhamentos para a implantação do Polo Industrial estão a todo vapor e a previsão é de que em março a cervejaria comece a se instalar no município. “Para mim é um grande sonho poder concretizar o desejo dos catuenses de ter o seu polo industrial e levar emprego para tantos trabalhadores que estão fora do mercado, sofrendo com a crise que vivemos”, diz Pequeno.

“Queria agradecer a oportunidade mais uma vez ao vice-governador, ao prefeito. Dizer que estamos felizes com toda acolhida, oportunidade e a parceria que estamos formando a partir de agora. Temos um grande desafio, mas a gente enxerga como grande oportunidade o estabelecimento da nossa planta em Catu e participar do desenvolvimento do Estado”, afirma Evangelista.

Com a implantação da cervejaria cerca de 1,5 mil novos postos de trabalho diretos e indiretos devem ser criados. Além disso, uma parceria com o Senai já está sendo viabilizada para qualificação da mão de obra local, a fim de que os catuenses ocupem as vagas de trabalho que serão ofertadas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

vinte + 6 =