Os trabalhadores do Complexo Ford Camaçari se reuniram  em assembleia na  manhã desta terça-feira (12/1), em frente ao prédio da montadora.  O ato convocado pelo Sindicato dos Metalúrgicos ganhou adesão em massa dos trabalhadores – mantendo o distanciamento por causa da pandemia – e busca soluções e caminhos para a luta em defesa dos milhares de empregos da fábrica na Bahia.

Na segunda-feira, a Ford anunciou o fim das operações da empresa no Brasil. Além de Camaçari as atividades também serão encerradas em unidades dos estados de São Paulo e Ceará.

O presidente do sindicato, Júlio Bonfim, cobrou responsabilidade da Ford com os trabalhadores “após anos de incentivos fiscais e lucros exorbitantes em Camaçari, além de contextualizar a instabilidade política e econômica no Brasil, provocadas pelo governo federal, como um dos motivos para a fuga de empresas do país”.

A deputada estadual Olívia Santana,  o presidente estadual da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB-BA), Pascoal Carneiro; o presidente da FITMET, Aurino Pedreira, além de representantes de outras entidades, também participaramm da assembleia.

”O sindicato continua firme e forte na resistência em defesa e ao lado dos trabalhadores”, diz Júlio Bonfim.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × 3 =