Prefeitura de Salvador se dispõe a adquirir vacina russa com recursos próprios

Bruno Reis: "A aquisição de vacinas é hoje um problema mundial. Por isso, a Prefeitura se associa ao Estado nessa luta e também está disposta a utilizar recursos próprios para a aquisição da Sputnik (Foto: Valter Pontes/Secom)

O prefeito de Salvador Bruno Reis agradeceu ao governo federal pelo envio das cerca de 42 mil doses da Coronavac, bem como ao Estado pela rápida distribuição da vacina, que desembarcou no final da noite de ontem (18) na capital baiana. O prefeito, no entanto, disse que a vacinação precisa ser acelerada com o envio de mais doses, e apoiou a ação do governo do Estado junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que a vacina russa Sputnik possa ser distribuída no Brasil.

“Somente com a imunização das pessoas vamos conseguir retomar a normalidade. Graças à pandemia, Salvador, que estaria vivendo agora o seu melhor verão, teve que se reinventar”, declarou Bruno Reis, durante a solenidade que marcou o início da campanha de vacinação contra o novo coronavírus na capital baiana.

Segundo o governo do Estado, o Brasil pode receber 10 milhões de doses da Sputnik, vacina que, embora já esteja sendo aplicada em países como a Argentina, não foi liberada pela Anvisa. Por isso, o Estado ingressou com uma ação no STF, que tem como relator o ministro Ricardo Lewandowski.

“Esperamos que o STF acate nosso pedido para que possamos acelerar a vacinação com o uso da Sputnik, por meio da parceria com um laboratório brasileiro. Temos contrato com esse laboratório, mas não há qualquer obstáculo para que a própria União possa assumir a importação dessas vacinas. O ideal é que a gente possa usar várias vacinas”, disse Rui Costa.

Campanha

A expectativa da Prefeitura é imunizar hoje (19) cerca de 2,5 mil pessoas entre idosos abrigados nas Osid, além dos trabalhadores que atuam na Base Central do Samu 192, no Pau Miúdo, na UPA e Gripário de Pirajá/Santo Inácio, bem como na UPA e Gripário Barris, na UPA e Gripário Brotas, no Hospital Municipal de Salvador (HMS) e no abrigo Dom Pedro II.

Para o início da estratégia no município, o governo federal encaminhou cerca de 42 mil doses da Coronavac. Esse quantitativo tem a capacidade de proteger cerca de 21 mil pessoas, uma vez que o imunizante prevê uma dose de reforço após 14 dias da primeira aplicação.

Para essa primeira remessa, está previsto a imunização dos idosos abrigados em instituições de longa permanência do município e trabalhadores da saúde que atuam na rede de urgência e assistência direta aos pacientes com o novo coronavírus (UPAs, Gripários, Samu 192 e hospitais, incluindo os de campanha).

A estratégia utilizada para essa primeira remessa será através de 11 equipes volantes nos próprios locais selecionados. Por isso, a população não deve se direcionar a nenhum ponto de vacinação neste momento. A programação segue recomendação de informe técnico emitido pelo Ministério da Saúde.

Um cronograma será construído diariamente na capital, de acordo com a disponibilidade de vacinas. A cada nova remessa encaminhada ao município, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) ampliará a imunização dos grupos prioritários. Entre o público considerado prioritário, a Prefeitura espera vacinar, nos 12 distritos sanitários da cidade, 571.847 pessoas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

3 − 3 =