Villar: "Destacamos a repetição de resultados acima de R﹩ 300 milhões nos dois últimos trimestre" (Foto: Divulgação)

Por GERALDO BASTOS

A construtora e incorporadora pernambuca Moura Dubeux – a maior da região Nordeste do país – vive um novo ciclo de crescimento e expansão dos negócios. Após levantar, em fevereiro do ano passado, R$1,25 bilhão em sua abertura de capital, a empresa intensificou, em plena pandemia do novo coronavírus, o lançamento de novos empreendimentos focados no público de média e alta renda. Somente em Salvador, são três projetos: Mirat Martins de Sá, Olhar Caminho das Árvores e Orquidário. Juntos, eles somam 305 apartamentos, com Valor Geral de Vendas (VGV) da ordem de R$ 234 milhões.

“No ano de 2020, foram 10 lançamentos no Nordeste, somando 1.268 apartamentos, com VGV de R$ 791,17 milhões, significando um aumento de 107,1% sobre os R$ 382,02 milhões dos quatro empreendimentos lançados no exercício passado”, disse o CEO da companhia, Diego Villar, durante encontro com jornalistas baianos, no restaurante Amado.

Segundo Villar, o crescimento do setor imobiliário do país e, em particular da Moura Dubeux, nos últimos meses, se deve a uma série de fatores. Ele citou, dentre outros, a redução da taxa de juros, que barateou o crédito e, consequentemente, tornou mais atrativo os financiamentos para a casa própria, o baixo estoque de imóveis disponíveis no mercado e a mudança de hábitos dos consumidores que passaram a desejar imóveis maiores ou então com uma melhor infraestrutura.

No ano de 2020, foram 10 lançamentos no Nordeste, somando 1.268 apartamentos, com VGV de R$ 791,17 milhões, significando um aumento de 107,1% sobre os R$ 382,02 milhões dos quatro empreendimentos lançados no exercício passado

“Foi uma combinação ideal para que houvesse uma demanda alta por apartamentos”, afirmou o executivo, que é baiano de Salvador, formado em engenharia civil, com especialização em Finanças pelo Ibmec e Gestão de Projetos pela FGV, além de ter cursado MBA Executive pela Fundação Dom Cabral e Kellogg.

“No caso da Moura Dubeux, por acreditar na região, mesmo com a crise no mercado imobiliário, entre 2015 e 2019, ela sempre se manteve nas cidades, continuou lançando e investindo. Quando o mercado melhorou, a empresa estava muito bem posicionada. Essa combinação, somada a abertura de capital, permitiu a companhia oferecer produtos que foram muito bem aceitos pelo mercado”, acrescentou o executivo.

Sobre 2021, Diego Villar diz que está otimista. “A crise pandêmica continua,  mas agora com a solução através da vacina. Somado a isso, o governo abre uma janela com a pauta da reforma fiscal, o que ajuda a melhorar as contas públicas e a economia como um todo. Em relação as taxas de juros, por mais que o Banco Central tenha sinalizado que haverá uma alta ao longo do ano, mesmo assim, continuará nas mínimas históricas”, diz. Todos esses fatores, segundo ele, continuarão fomentando o mercado imobiliário durante o ano todo de 2021.

O luxuoso Mirat Martins de Sá, no Horto, é um das apostas da Moura Dubeux

Salvador

A capital baiana é uma das principais apostas da Moura Dubeux para alcançar resultados ainda melhores nos próximos anos. Por aqui, a incorporadora realizou três importantes lançamentos nos últimos meses. O mais recente deles é o luxuoso Mirat Martins de Sá, no Horto Florestal, com apartamentos que possuem 4 dormitórios e área de 253m².

Outro lançamento, também de alto padrão, é o Olhar Caminho das Árvores

Tem ainda o Olhar Caminho das Árvores , localizado no bairro Caminho das Árvores. O empreendimento conta com 76 apartamentos de 130m² e 160m², com 3 ou 4 dormitórios. O projeto e a ambientação são assinados por Sydney Quintela, além de uma completa área de lazer com design biofílico idealizado por Takeda Design. O empreendimento possui a certificação do IPTU verde, que garante as práticas sustentáveis do projeto.

O terceiro empreendimento é o Orquidário, no bairro Parque Bela Vista. Focado no público de média renda, fica próximo a shopping e com a nova estação do BRT. Possui apartamentos de 58 e 69 m² com uma suíte. O empreendimento tem duas torres, com 96 apartamentos cada. Além disso, possui área de lazer completa e confortável.

O Orquidário tem como foco o público de média renda da capital baiana

“Esses empeendimento deverão criar entre 800 a mil empregos diretos em Salvador. Hoje, temos  dois canteiros ativos que já geram entre 350 a 400 empregos”, afirma Fernando Amorim, diretor regional da Moura Dubeux, acrecentando que o segundo semestre do ano passado foi “muito bom” para o setor. “Com a pandemia, as pessoas ficaram mais em casa e então passaram a valorizar mais os imóveis, constataram  que o investimento na casa é um patrimônio importante e isso gerou uma nova demanda”.

Fernando Amorim diz ainda que há, hoje,  entre 5 a 6 outros projetos sendo elaborados, contratados ou em fase de aprovação por parte da Prefeitura de Salvador. “Em todas as cidades onde atuamos mantemos sempre um excelente relacionamento com o poder público. Buscando sempre uma parceria. Salvador é a melhor cidade, a mais ágil e a mais eficiente para realizar negócios. Quando é não, é não e quando é sim, é sim”.

Fundada em Recife há 37 anos pelos irmãos Aluísio, Gustavo e Marcos José Moura Dubeux, a Moura Dubeux – desde a sua fundação – já entregou 220 projetos, totalizando mais de 3,5 milhões de metros quadrados construídos e mais de 20.000 unidades entregues. Atualmente, tem presença em cinco estados: Pernambuco, Alagoas, Bahia, Rio Grande do Norte e Ceará.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

7 − quatro =