Prefeitura reabre leitos de UTI, suspende Réveillon e limita funcionamento de bares

Prefeito lembrou que a administração municipal nunca teve dúvidas em colocar a preservação da vida em primeiro lugar, tendo que tomar medidas até mesmo impopulares para evitar situações mais sérias (Foto: Valter Pontes/Secom)

Para conter o novo aumento do número de casos de Covid-19 na capital baiana, a Prefeitura de Salvador vai adotar novas medidas de combate à pandemia e proteção à vida. A apresentação foi feita pelo prefeito ACM Neto nesta segunda-feira (7), na área externa do Palácio Thomé de Souza, no Centro, ao lado do vice-prefeito Bruno Reis e do secretário municipal da Saúde (SMS), Leo Prates.

Uma delas está a reabertura, até o próximo dia 20, de 40 leitos de UTI exclusivos para tratamento de casos no novo coronavírus. Desse total, 20 vão funcionar no Hospital Municipal de Salvador (HMS), em Boca da Mata; dez leitos no Hospital Salvador, na Federação; e os dez leitos restantes no Hospital Sagrada Família, no Bonfim.

Já a partir desta quarta-feira (9) até o dia 23, duas ações vão estar em vigor na capital baiana. Devido aos constantes episódios de aglomeração em Itapuã e Rio Vermelho, bares e restaurantes destes bairros deverão estar fechados de sexta a domingo, a partir das 17h.

Além disso, haverá também suspensão das atividades em cinemas, teatros e demais casas de espetáculo, assim como das atividades sociais como festas, bares e lanchonetes nos clubes sociais, recreativos e esportivos. Apenas as atividades esportivas estarão mantidas nos clubes.

Avaliação

O prefeito lembrou que a administração municipal nunca teve dúvidas em colocar a preservação da vida em primeiro lugar, tendo que tomar medidas até mesmo impopulares para evitar situações mais sérias. A estratégia de adotar essas ações na hora certa, inclusive, fez com que Salvador se tornasse um exemplo, ao conseguir enfrentar a pandemia sem colapso no sistema de saúde.

“Na fase mais crítica, foi necessária a suspensão de diversas atividades, trazendo impacto econômico. Desenvolvemos plano com governo do Estado para retomada e o principal paradigma era a taxa de ocupação dos leitos de UTI. A cidade não teria que delegar ao profissional de saúde a decisão de quem ia viver ou morrer. Não poupamos esforços ou recursos para isso, fazendo que a cidade superasse a fase mais crítica sem sofrer colapso”, disse ACM Neto.

No entanto, as situações de relaxamento das medidas principalmente pela população, com episódios de aglomerações e falta do uso da máscara ao longo do tempo, já vinham sendo alertadas devido à possibilidade de uma segunda onda de contaminação, o que já vem acontecendo em outros países e que pode ter efeitos ainda piores. “O nosso dever e obrigação é agir no tempo certo e não esperar que o pior aconteça. Por isso, desde a semana passada vinha conversando com a equipe e foi definida esta série de ações com o objetivo de lutar pela contenção da pandemia na cidade”, pontuou o prefeito.

“Esperamos que essas medidas façam efeito, até porque é necessário neste momento a gente começar a controlar esse crescimento da pandemia. Todas essas decisões são tomadas a partir de estudos técnicos com base nos dados. O desejo é acelerar ao máximo a aquisição da vacina, tanto que a SMS já foi autorizada a negociar com distribuidores para que a gente possa reservar recursos para aquisição do medicamento, tendo que ainda não há definição dos governos quanto a isso”, salientou o vice-prefeito Bruno Reis.

Virada

Devido à preocupação da Prefeitura com a gravidade da situação a ser provocada por uma segunda onda de transmissão da Covid-19, a live da Virada Salvador, que aconteceria no dia 31, foi cancelada. Nesse mesmo dia, o calçadão e praia da Barra estarão interditados para evitar aglomerações. A queima de fogos em diversos pontos da cidade, em locais que não serão divulgados por questões de segurança sanitária, estão mantidos.

“As coisas pioraram muito nos últimos 15 dias e, diante desse aumento expressivo, a entrada de 2021 não será de celebração, mas sim de preocupação. Essa é uma medida necessária para que todos fiquem atentos para o risco que estamos correndo de a segunda onda ser pior que a primeira. Por isso, sacrificar um projeto que a própria Prefeitura desenvolveu, de realizar a live da Virada Salvador mesmo com todos os protocolos sanitários e de segurança, é um recado de que nada poderá atrapalhar as medidas de proteção à vida”, declarou ACM Neto.

Números

De acordo com a análise das autoridades de saúde, nas últimas semanas, houve um aumento do número de casos de Covid-19 em Salvador, situação que preocupa principalmente pelo contexto provocado pela segunda onda de contaminação em outros países e que também estima-se que atingirá o Brasil. Na semana 40 da pandemia, referente aos dias 27 de setembro e 3 de outubro, a média móvel era de 139 casos na cidade. Já na semana 49, entre os dias 29 de novembro e 5 de dezembro, o número saltou para 351 casos.

Com relação à taxa de leitos de UTI, segundo o secretário Leo Prates, esta segunda-feira (7) registrou o índice de 77% de ocupação deste tipo de leito, contra 56% no último dia 22. A média móvel neste caso, que havia apresentado aumento de 6% na semana 48, na semana 50 já chega a 11%.

No último fim de semana, 27 pacientes positivos para o novo coronavírus nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) aguardaram regulação para os hospitais. Hoje, a cidade possui 723 leitos clínicos e de UTI para a Covid-19 nas redes municipal, estadual e rede privada contratualizada.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezoito − sete =