Estudo aponta que 36,4% dos empregos formais da cidade estão no setor industrial (Foto: Nilton Souza/Divulgação)

O ambiente de negócios no município de Camaçari está cada vez mais promissor. É o que aponta a Revista Exame, através do resultado dos estudos das Melhores Cidades para Fazer Negócios 2.0, edição 2020, elaborado pela consultoria Urban Systems. Em ranking com 100 municípios de todo o país, Camaçari é apontada como a melhor cidade para fazer negócios no setor industrial, além de ocupar também a 8ª posição do segmento de mercado imobiliário e a 13ª no setor de comércio.

Foram analisados dados de 326 municípios com mais de 100 mil habitantes do país. Para os estudos deste ano, foram levados em consideração indicadores sobre o impacto da Covid-19, o número total de infectados e a taxa de letalidade, além de questões relativas aos reflexos da pandemia sobre a economia. Foram analisados os segmentos de educação, comércio, serviços, indústria, mercado imobiliário/ construção civil e agropecuária.

No que tange os dados do setor industrial, os índices apresentados por Camaçari demonstram oportunidade em relação ao segmento e revela que o município teve maior capacitação dos empregos na indústria da transformação. Aponta também que 36,4% dos empregos formais da cidade estão no setor industrial, que está em franco crescimento, de acordo com último dado anual fechado (2019), registrando 26 novos estabelecimentos. O estudo leva em conta o fato de a cidade ter localização privilegiada, com proximidade do aeroporto internacional de Salvador e com o Porto.

Comércio

No segmento de comércio, diante da 13ª posição no ranking das Melhores Cidades para Fazer Negócios, é possível identificar reflexos das ações desenvolvidas a partir do convênio firmado entre o Sebrae e a Prefeitura de Camaçari em 2018. A parceria tem como objetivo melhorar a competitividade das micro e pequenas empresas de Camaçari. O convênio possui aporte financeiro de aproximadamente R$ 6 milhões com recursos das duas instituições.

“Nos anos de 2019 e 2020, focamos em alguns elementos de gestão e de inovação dos pequenos negócios da cidade e em alguns segmentos que foram priorizados como turismo, alimentação no geral, indústria de alimentos, moda e beleza e estética. Mas também expandimos para empresas de outros segmentos”, explica o gerente regional do Sebrae em Salvador, Rogério Teixeira.

Ele explica ainda que o convênio atende às pessoas que desejam empreender, mas lembra que existem trilhas com conteúdos mais direcionados para quem busca abrir um negócio próprio. Outra trilha existente é a do microempreendedor individual (MEI), que tem como objetivo a melhoria nos processos das empresas com essas características para que elas se consolidem e cresçam efetivamente.

Outro eixo trabalhado e que culminou na Central do Empreendedor – uma espécie de Sala do Empreendedor ampliada -, foi a melhoria no ambiente de negócios do município. Esse serviço oferecido reduziu, drasticamente, a quantidade de dias de abertura do negócio, melhorou os processos e diminuiu as burocracias. “Hoje, o cidadão de Camaçari tem acesso a dois espaços (Sede e Orla de Arembepe) onde empresários e empreendedores, independente do porte, encontram, em um só lugar, tudo que precisam relacionado ao negócio, isso é um grande avanço”, avalia Rogério.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

16 + quatro =