Cimatec Saúde e Fiocruz vão desenvolver estudos clínicos de vacina contra a Covid-19

Instituição, inaugurada oficialmente nesta sexta-feira (30) pelo vice-ppresidente, Hamilton Mourão, está em tratativas avançadas com HDT (EUA) e os indianos da Genova para produção de imunizante de alta tecnologia (Foto: Fieb)

O Cimatec Saúde, oficialmente chamado de Instituto Senai de Sistemas Avançados de Saúde (ISI SAS), já negocia o desenvolvimento de estudos clínicos das fases 1, 2 e 3 da vacina HDT 301 contra a Covida-19, em parceria com a Fiocruz. O anúncio foi feito, nesta sexta-feira (30),  durante a inauguração da unidade, que contou com a presença do vice-presidente da República, Hamilton Mourão.

“As tratativas estão bem avançadas para trazer para o Brasil uma vacina contra coronavírus, da americana HDT e da Genova (Índia). Aqui no Brasil o Cimatec  Saúde e a Fiocruz farão os estudos clínicos das fases 1, 2 e 3, além da transferência de tecnologia. A produção será realizada na unidade Manguinhos”, afirmou o diretor de Tecnologia e Inovação do Senai  Cimatec , Leone Andrade.

O   Cimatec Saúde, que ocupa um andar inteiro do prédio 3 do Senai   Cimatec em Salvador, está equipado com laboratórios de alta tecnologia e já vem atuando na realização de testes para diagnóstico da Covid-19. O Instituto tem quatro grandes eixos de atuação: Produção de remédios e produtos Farmacêuticos de Base Química e Biotecnológica; Insumos terapêuticos; Bio materiais e Engenharia de tecidos; Kits diagnósticos e Dispositivos e; Equipamentos e dispositivos e estudos clínicos e aspectos regulatórios.

Conhecimento

Para o vice-presidente da República, o ISI será fundamental para o desenvolvimento da Economia do Conhecimento, que a pandemia acelerou. “Centros como este mostram a capacidade que o país tem de oferecer soluções nos mais diversos campos da ciência e da inovação”, disse. Mourão ainda elogiou o Sistema S, destacando o seu papel na preparação de trabalhadores para um mercado de trabalho cada vez mais exigente.

O presidente da Fieb, Ricardo Alban, enfatizou que a união de esforços e recursos do Senai Nacional, BNDES e as parcerias com a Fiocruz e o Ministério da Saúde para que projetos como o do Cimatec Saúde sejam viabilizados contribuem para “promover a melhoria da competitividade e produtividade da indústria brasileira no setor da saúde através da geração, difusão e transferência de conhecimento científico e tecnológico para as indústrias do Brasil”.

Alban ressaltou a necessidade deste tipo de convergência para que o Brasil supere os hiatos tecnológicos e a crise econômica pós pandemia. “É deste tipo de união que o país precisa para construirmos o futuro”, apontou. A solenidade contou também com as presenças da presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, pesquisador-chefe do Cimatec  Saúde, Roberto Badaró, representantes dos Ministérios da Defesa e da Saúde, Comandos do Exército e da Marinha, além de presidentes de sindicatos da Indústria e diretores da Fieb.

Números da atuação do Senai Cimatec na pandemia

– Produção de 686 bolhas de contenção

– Manutenção de 291 bombas de infusão

– 275 Respiradores recuperados

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

oito − 6 =