Economia da Bahia tem queda de 8,7% no segundo trimestre do ano

A indústria baiana encolheu quase 7% no segundo trimestre deste ano (Foto: José Paulo Lacerda)

A pandemia do novo coronavírus provocou um tombo histórico na economia da Bahia. O PIB do estado  registrou uma queda de 8,7%  no segundo trimestre deste ano, na comparação com igual período de 2019. O Valor Adicionado apresentou variação negativa (-7,9%) e os Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios caíram 15,2%. Os dois setores com maior peso na Bahia foram os responsáveis pelo resultado negativo da atividade econômica do estado: indústria (-6,7%) e serviços (-11,5%).  Os dados foram divulgados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), nesta sexta-feira (4).

A agropecuária baiana, no segundo trimestre de 2020, cresceu 7,3%, em relação ao mesmo período do ano anterior. O setor Industrial baiano obteve taxa de -6,7% no segundo trimestre do ano, sobretudo pelo baixo desempenho da indústria de transformação (-12,8%) e da construção (-11,8%0. Nas indústrias extrativas o recuo foi de 13% e o único destaque positivo coube a atividade de eletricidade e água com alta de 22,4%, onde o estado é líder neste segmento de energia gerada por fonte eólica.

O setor de serviços baiano caiu 11,5%, puxada pela retração do comércio (-15,5%), transportes (-15,7%) e administração pública (-4,0%). A menor queda foi verificada na atividade imobiliária (-0,3%).

Semestre

Nos seis primeiros meses de 2020, a atividade econômica cai 4,4% sob os efeitos da pandemia da Covid-19. A agropecuária variou em 7,5%, indústria em -0,9% e serviços em -6,9%. A única atividade com crescimento verificado no 1º semestre do ano é a eletricidade e água (+9,2%). Os destaques negativos no semestre ficaram por conta da indústria extrativa (-11,3%), transportes (-10,6%) e comércio (-10,6%). Além destas atividades, a indústria de transformação fecha o 1º semestre com uma pequena retração (-1,0%) e a administração pública com queda de 1,9%.

O PIB do agronegócio baiano apresentou retração de 2,4% no segundo trimestre de 2020. Com o resultado, o setor do agronegócio acumulou expansão de 0,3% no primeiro semestre na comparação com o primeiro semestre de 2019. No segundo trimestre, o valor do PIB do agronegócio ficou em R$ 20,5 bilhões, correspondendo a 27,1% do PIB total da Bahia – maior nível de participação do agronegócio no PIB baiano. No semestre, a participação do agronegócio na economia baiana alcançou 24,1%, totalizando R$ 36 bilhões (também o maior nível da série histórica).

Apesar da retração no segundo trimestre, o agronegócio baiano aumentou a sua participação na economia baiana e a perspectiva é que esse resultado se mantenha em 2020 em função do baixo desempenho das demais atividades econômicas e dos resultados positivos do segmento agropecuário.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × um =