Bahia terá safra recorde de grãos este ano, prevê IBGE

Estimativa para o estado é de uma produção de 9.712.445 toneladas de grãos neste ano (Foto: Jaelson Lucas/ AEN Paraná)

A oitava estimativa para a safra baiana de cereais, leguminosas e oleaginosas (também conhecidos como grãos) em 2020 prevê, em agosto, um novo recorde na produção, que deve chegar a 9.712.445 toneladas neste ano – a maior da série histórica do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado pelo IBGE desde 1972.

Isso representa um aumento de 17,2% (ou mais 1.428.785 toneladas) em relação à safra de 2019 (8.283.660 toneladas). A previsão de agosto ficou 1,9% maior que a de julho, quando a estimativa era de uma safra de 9.534.331 toneladas de grãos em 2020, no estado.

A principal razão para o aumento ocorreu por conta da revisão para cima na estimativa de produção baiana de milho (2ª safra) em 2020, que chegou a 480.000 toneladas em agosto, 29,7% maior (mais 110 mil toneladas) que a de julho (que tinha sido de 370.000 toneladas). Com isso, a produção de milho 2ª safra na Bahia em 2020 (480 mil toneladas) deve ficar 73,9% maior que a de 2019 (204 mil toneladas).

O aumento na previsão do milho se deveu, sobretudo, ao crescimento da área plantada do produto, que passou de 230 mil hectares em julho, para 250 mil hectares em agosto.

Outros grãos também apresentaram variação na previsão de safra 2020 entre julho e agosto. Com variação para cima, de um mês para o outro, estão o algodão herbáceo (+15 mil toneladas ou +1,0%), a mamona (+16 mil toneladas ou +80,0%, maior crescimento percentual), o sorgo (+43 mil toneladas ou +41,6%) e o trigo (+2 mil toneladas ou +13,3%).

Com redução na previsão, entre julho e agosto, estão o amendoim 1ª safra (-224 toneladas ou -14,8%), o amendoim 2ª safra (-432 toneladas ou -15,0%) e o feijão 1ª safra (- 1,380 mil toneladas ou -1,0%).

Em nível nacional, a estimativa de agosto para a safra de grãos 2020 também é de recorde na série histórica do IBGE, chegando a 251,7 milhões de toneladas, 4,2% superior à de 2019 (que foi de 241,5 milhões de toneladas) e 0,5% maior (mais 1,2 milhões de toneladas) em relação ao estimado em julho.

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) é realizado mensalmente pelo IBGE. O grupo de cereais, leguminosas e oleaginosas (grãos) engloba os seguintes produtos: arroz, milho, aveia, centeio, cevada, sorgo, trigo, triticale, amendoim, feijão, caroço de algodão, mamona, soja e girassol.

A partir das informações desta oitava estimativa, a Bahia deve se manter, em 2020, com a oitava maior produção de grãos do país, respondendo por 3,9% do total nacional. Mato Grosso continua na liderança, respondendo por 28,6% do total, seguido, mais uma vez, por Paraná (16,2%) e Rio Grande do Sul (10,7%).

Principais produtos

Assim como havia ocorrido em julho, em agosto a previsão para 2020 é que 11 das 25 safras de produtos investigadas pelo LSPA na Bahia sejam maiores que as de 2019.

Porém, existem mudanças: a previsão produção do amendoim (1ª safra), que, em julho, esperava-se ser maior que a de 2019, agora deve ser 6,7% menor que a do ano passado. Porém, essa queda foi compensada pela nova previsão da safra da mamona, que agora é de aumento de 33,3% em relação a 2019.

As produções com previsão de maior crescimento no estado, em termos absolutos, são as de cana-de-açúcar (+944.000 toneladas ou +22,4%), soja (+718.100 toneladas ou +13,5%) e milho 1ª safra (+434.600 toneladas ou +31,8%).

Por outro lado, banana (-190 mil toneladas ou -18,3%), algodão herbáceo (-49 mil toneladas ou -3,3%) e feijão 1ª safra (-36,9 mil toneladas ou -21,4%) lideram as quedas absolutas de produção.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

doze − 11 =