IBGE prevê safra de feijão 17% menor na Bahia no ano que vem

Produção de feijão da 1ª safra deve ficar menor no próximo ano, segundo informações do IBGE

O segundo prognóstico nacional para a safra 2020 de cereais, leguminosas e oleaginosas (também conhecidos como grãos) prevê que ela seja recorde, chegando a 240.913.898 de toneladas, superando em 33,6 mil toneladas o resultado esperado para 2019 (240.880.344 de toneladas).

No Brasil como um todo, entre os cinco produtos de maior peso entre os grãos, são esperados dois recuos de produção: milho (-0,8% na 1ª safra e -9,8% na 2ª safra) e feijão (-0,3% na 1ª safra). Já as variações positivas deverão vir do algodão (2,0%), arroz (1,0%) e soja (6,7%).

Embora os prognósticos não tenham informações consolidadas para as safras de grãos nos estados, foram mantidas as variações previstas em outubro para a Bahia.

Assim, em 2020, devem aumentar, no estado, as produções de soja (de 5,3 milhões para 5,4 milhões de toneladas, +2,9%), milho 1ª safra (de 1,365 milhão para 1,386 milhão de toneladas, +1,5%), milho 2ª safra (de 276 mil toneladas para 358,8 mil toneladas, +30,0%), algodão (de 1,494 milhão para 1,512 milhão de toneladas, +1,2%) e feijão 2ª safra (de 117,6 mil para 148,2 mil toneladas, +26,0%)

Por outro lado, a produção de feijão 1ª safra deve ficar menor no próximo ano (caindo de 172,8 mil em 2019 para 143,4 mil toneladas em 2020, -17%), em razão de uma queda no rendimento médio, de 705 kg/hectare para 585 kg/hectare.

As informações são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado mensalmente pelo IBGE. O grupo de cereais, leguminosas e oleaginosas (grãos) engloba os seguintes produtos: arroz, milho, aveia, centeio, cevada, sorgo, trigo, triticale, amendoim, feijão, caroço de algodão, mamona, soja e girassol.

Estimativas de safra 2019

Com as colheitas praticamente concluídas em 2019, a 11ª previsão para a safra baiana de grãos neste ano manteve, em novembro, a estimativa de produção de 8.233.928 toneladas, 11,7% menor que o recorde de 2018 (cerca de 9,3 milhões de toneladas).

Com isso, o estado deverá fechar 2019 com uma participação de 3,4% na produção brasileira de grãos. Mato Grosso é o líder, com 28,0% do total, seguido por Paraná (15,0%) e Rio Grande do Sul (14,4%).

Ainda segundo a estimativa, neste ano, 9 das 26 safras de produtos investigadas pelo IBGE na Bahia deverão ser maiores do que em 2018.

As safras de produtos com maiores aumentos absolutos deverão ser as de mandioca (mais 329.925 toneladas), algodão herbáceo (mais 245.846 toneladas) e milho 2ª safra (mais 228,6 mil toneladas). Por outro lado, soja (menos 986.800 toneladas), milho 1ª safra (menos 598.140 toneladas) e cana-de-açúcar (menos 474 mil toneladas) devem ter as maiores quedas de produção, em termos de volume.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

19 + dezenove =