Setor de serviços amarga queda de 5,6% na Bahia, mostra IBGE

Setor de transportes, serviços auxiliares e correio caiu 8,7% em setembro (Foto: Simone Mello/Agência IBGE Notícias)

O volume do setor de serviços na Bahia caiu 2,2% em setembro em relação a agosto, na série com ajuste sazonal, devolvendo parte do ganho acumulado com as altas verificadas em julho e agosto (3,8%), nessa comparação. Na comparação com setembro de 2018, o volume de serviços na Bahia também teve recuo importante (-5,6%). Foi o quarto resultado negativo consecutivo no estado, na comparação com o mesmo mês do ano passado, e um desempenho também pior que a média nacional (1,4%). Os dados são do IBGE.

Nesse confronto, 16 dos 27 estados viram o volume de serviços cair, com destaque para Rondônia (-10,7%), Alagoas (-9,5%) e Piauí (-6,1%). Com os resultados de setembro, o setor de serviços na Bahia mostrou a quarta aceleração consecutiva no seu ritmo de queda, tanto no acumulado no ano de 2019 quanto em 12 meses, chegando a -2,0% e -2,4% respectivamente.

Ambos os resultados seguem aquém da média nacional: 0,6% no acumulado em 2019 e 0,7% nos 12 meses encerrados em setembro.

Transportes

A queda no volume do setor de serviços baiano em setembro frente ao mesmo mês de 2018 (-5,6%) foi resultado do desempenho negativo de quatro das cinco atividades investigadas no estado. Pelo quarto mês consecutivo, a atividade de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio em queda (-8,7%) foi a que mais puxou os serviços baianos para baixo. O segmento tem o maior peso na estrutura do setor no estado.

Com o maior recuo entre as atividades, os outros serviços (-27,4%) tiveram a segunda principal influência negativa no índice geral de setembro. Embora não tenha tanto peso na estrutura dos serviços baianos, essa atividade vem em quedas seguidas desde abril e só teve um mês de alta em 2019. Por isso acumula o maior recuo no ano (-10,9%).

Trata-se de um grupo muito diverso, que reúne desde venda de imóveis e administração de condomínios, até serviços de reparação e manutenção, passando por atividades de apoio à agropecuária.

Por outro lado, os serviços profissionais, administrativos e complementares foram o único segmento com resultado positivo, na Bahia, em setembro (8,0%), mostrando o segundo avanço consecutivo e sendo mais uma vez os responsáveis por segurar um pouco a queda dos serviços.

O segmento também tem peso importante na estrutura do setor na Bahia e reúne muitas atividades direcionadas às empresas (ligadas às áreas jurídica, contábil, de segurança, assessorias e consultorias em diversos campos, agências de viagem, entre outras).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

treze + 10 =