Exportações da Bahia caem pelo 4º mês seguido e somam US$681,1 milhões

As exportações baianas encerraram o primeiro semestre do ano com um valor de US$ 3,549 bilhões

Pelo quarto mês consecutivo, as exportações baianas acusaram queda em relação a igual período de 2018. Em setembro, elas atingiram US$ 681,1 milhões, com um recuo de 14,4%. As informações foram analisadas pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan).

A desaceleração da economia global e a crise da Argentina vêm afetando o desempenho das exportações baianas, que já resultaram em uma redução de 7,4%nas receitas no acumulado até setembro,  de 5% na quantidade total embarcada e de 2,6% nos preços médios, comparados a igual período do ano passado.

No mês passado, houve queda de 77,1% nas exportações do setor automotivo, de 55,7% de produtos petroquímicos, de 36,8% na de papel e celulose e de 4,6% de produtos metalúrgicos, dentre os mais importantes da pauta.

Na contramão da tendência, os principais destaques positivos foram as vendas de derivados de petróleo, com crescimento de 149,1%, e as do agronegócio, que também subiram 22,8% em relação a igual mês de 2018, puxados pelo aumento dos embarques de soja (+81,8%) e algodão (+31,7%).

Importações

Como resultado da perda de força da atividade econômica interna e da postergação de investimentos pelas empresas, as importações recuaram ainda mais que as exportações, registrando queda de 23,5% comparados aos valores de setembro de 2018, alcançando US$ 546 milhões.

No mês de setembro, caíram as compras de combustíveis e lubrificantes (-35,9%), de bens intermediários (-31%) e de bens de consumo (-48,6%). A exceção foram os bens de capital, que cresceram 46%, embora influenciados pela compra de aeronaves. No ano, as importações somam US$ 5,27 bilhões, com redução de 8% comparado a igual período do ano passado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezoito + 9 =