IBGE mantém previsão de queda de 14,8% na safra de grãos da Bahia

Área colhida deve ser de 64,5 milhões de hectares, ou seja, 2% acima da área de 2019 (Foto: Mônica Marli/Agência IBGE)

A sexta estimativa para a safra baiana de cereais, leguminosas e oleaginosas (também conhecidos como grãos) em 2019 se manteve, em junho, em 7.942.240 toneladas. Ficou idêntica à de maio, sustentando a previsão de queda (-14,8%) em relação à safra recorde de 2018 (9.323.119 toneladas). De maio para junho, não houve alteração na estimativa de nenhum dos grãos investigados no estado.

Para o Brasil como um todo, em junho, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2019 foi estimada em 236,0 milhões de toneladas, 4,2% superior à safra de 2018 (mais 9,5 milhões de toneladas) e 0,6% acima da estimativa divulgada em maio (mais 1,3 milhão de toneladas).

As informações são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado mensalmente pelo IBGE. O grupo de cereais, leguminosas e oleaginosas (grãos) engloba os seguintes produtos: arroz, milho, aveia, centeio, cevada, sorgo, trigo, triticale, amendoim, feijão, caroço de algodão, mamona, soja e girassol.

A partir das informações da estimativa de junho, a Bahia mantém sua participação de 3,4% na produção nacional de grãos em 2019, a 8ª maior contribuição. Mato Grosso continua na liderança, respondendo por 27,3% do total nacional, seguido por Paraná (15,8%) e Rio Grande do Sul (14,6%).

Principais produtos

A estimativa de junho é que, em 2019, 11 das 26 safras de produtos investigadas pelo LSPA na Bahia sejam maiores do que em 2018. Em relação à previsão de maio, quando 12 safras deveriam superar as de 2018, houve alteração em apenas uma estimativa. A batata-inglesa 2ª safra passou, em junho, a ter uma leve previsão de queda (-0,1%), totalizando 72 mil toneladas em 2019, frente a 72.090 toneladas no ano passado.

A safra de mandioca manteve a maior estimativa de crescimento, em termos absolutos, neste ano: mais 329.925 toneladas ou +21,6% em relação ao colhido em 2018. Em seguida vêm o milho 2ª safra, com mais 256.200 toneladas (+540,5%) e a banana, com mais 217 mil toneladas (crescimento de 26,4% em relação a 2018).

As maiores reduções de produção continuam com a soja (-1.308.000 toneladas ou -20,9%), o milho 1ª safra (-641.340 toneladas ou -32,7%) e a laranja (-42.500 toneladas ou -5,1%).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

nove − sete =