Com 5 anos de operação, metrô já transportou 200 milhões de passageiros

O metrô possui duas linhas, 33 km, 20 estações e 8 terminais de integração com ônibus (Foto: Amanda Oliveira/GOVBA)

Depois de ser considerada uma das maiores obras de mobilidade urbana do Brasil nos últimos anos e uma das obras de infraestrutura mais rápidas do mundo, o Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas (SMSL) chega aos seus 5 anos de operação. De 11 de junho de 2014 até aqui, foram transportados mais de 200 milhões de passageiros, o equivalente a quase toda a população brasileira atual. No total, mais de 700.000 viagens foram realizadas e mais de 8,5 milhões de quilômetros percorridos, que corresponde a, aproximadamente, 214 voltas no planeta Terra. Atualmente, a estação Lapa lidera o ranking das estações com o maior número de embarques diários, seguida de Pirajá, Aeroporto, Rodoviária, Acesso Norte, Mussurunga e Imbuí.

A cada novo quilômetro de trilhos implantados e novas estações inauguradas, o sistema metroviário baiano foi ganhando forma e consolidando-se como um divisor de águas para a mobilidade urbana da primeira capital do Brasil. Um transporte de alta capacidade, estruturante, sustentável, rápido, confortável e seguro, que vem transformando a vida de 370 mil clientes diariamente. Isso porque o modal melhorou a mobilidade de baianos e turistas pela capital e Região Metropolitana de Salvador, tendo como grande atributo a previsibilidade dos horários, que tem garantido mais qualidade de vida a todos os clientes.

As obras do sistema metroviário baiano avançaram, dando forma a vias, trilhos e estações. Os próprios baianos foram protagonistas da implantação do sistema, que contou com 85% de mão de obra local, de um total de, aproximadamente, 8 mil empregos diretos, indiretos e terceiros, no auge das obras. A construção avançou pelo canteiro central da Paralela até chegar à Estação Aeroporto de Metrô que foi entregue à população em abril de 2018. Em agosto, as obras de implantação do modal foram concluídas com a finalização do Terminal de Ônibus Aeroporto.

O metrô possui duas linhas, 33 km, 20 estações e 8 terminais de integração com ônibus, sendo 7 deles administrados pela CCR Metrô Bahia, concessionária responsável pela implantação e operação do modal por um período de 30 anos. O sistema conta com uma frota de 40 trens modernos que tem capacidade de transportar mil passageiros por viagem. Atualmente, 35 composições estão em operação nos horários de pico. Nos dias úteis são ofertados, aproximadamente, 984.000 lugares, número que equivale a mais de 1/3 da população total da capital baiana.

No total, mais de 700.000 viagens foram realizadas e mais de 8,5 milhões de quilômetros percorridos

“O Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas é um projeto muito bem sucedido de implantação combinado com a operação, que vem transformando a mobilidade urbana da capital baiana e Região Metropolitana, um marco do contrato de PPP Integral junto ao Estado da Bahia. O nosso grande desafio é atrair cada vez mais clientes, sendo a excelência do atendimento e de segurança nosso diferencial em relação ao transporte público na cidade. Temos a expectativa e o desafio de viabilizar a operação das extensões da Linha 1 e 2 do metrô e sua integração aos modais da RMS. Também promovemos eventos culturais e sociais para os clientes e comunidades do entorno, a fim de apresentar as estações do metrô como espaços públicos que incentivam ações de serviços e de valorização da cultura baiana”, enfatiza o diretor-presidente da concessionária, Rodolfo Gonzalez.

A nova realidade colocou Salvador em posição de destaque, já que a cidade é uma das três capitais brasileiras a ter o modal ligando o Centro ao Aeroporto. Hoje, é possível ir do terminal aeroportuário ao centro em uma viagem de, aproximadamente, 40 minutos. A integração também pode ser feita entre as diferentes regiões da cidade diretamente com o Aeroporto Internacional de Salvador.

A concessionária oferece o serviço de shuttle gratuito aos seus clientes para o trajeto Metrô – Aeroporto – Metrô. Uma frota de ônibus de modelo aeroportuário, acessível para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, é disponibilizada para o público. Os veículos contam com ar-condicionado, assentos preferenciais, espaço exclusivo para malas, portas USB para carregamento de dispositivos móveis e câmeras internas de monitoramento.

Responsável por 50% do crescimento da rede de transporte de passageiros sobre trilhos do Brasil em 2017, e por 4,2% no desenvolvimento total de trilhos no país e 8% na Bahia, em 2018, o sistema metroviário baiano também foi um dos cinco sistemas que mais expandiram no país nos últimos anos, de acordo com a Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos). Hoje, ele é o terceiro maior sistema metroviário do país, atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro.

O novo modal baiano trouxe uma nova dinâmica para o transporte público de Salvador. A população tem o benefício da integração tarifária que garante o pagamento de uma única tarifa com o uso dos cartões de integração da CCR Metrô Bahia, SalvadorCARD e Metropasse. Assim, pode-se combinar o metrô com outros modais como ônibus urbano e metropolitano, respeitando o intervalo de tempo para cada um deles. Uma soma de redução do percurso, de tempo de deslocamento e de economia.

Segurança e Atendimento

Fruto de uma Parceria Público-Privada (PPP) entre o Governo do Estado da Bahia e o Grupo CCR, o Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas é referência internacional pela qualidade e velocidade das obras e tecnologia inovadora. A sua filosofia de atendimento de excelência, também é destaque para aqueles que utilizam o serviço diariamente, trazendo para a cidade a realidade de transporte público de qualidade.

O sistema conta com uma frota de 40 trens modernos que tem capacidade de transportar mil passageiros por viagem

Os Agentes de Atendimento e Segurança (AASs) da CCR Metrô Bahia ficam na linha de frente e tem na orientação ao cliente a sua função primordial, pois o metrô é composto por pessoas cuidando de pessoas.

Os colaboradores também são treinados para fazer a segurança do sistema metroviário, como nas estações, trens e terminais de ônibus. Todos esses espaços recebem rondas periódicas e regulares, realizadas por agentes fardados e à paisana. A segurança também é feita com o monitoramento eletrônico realizado por mais de 2.000 câmeras das estações, trens, passarelas de acesso e terminais de ônibus. As imagens são acompanhadas em tempo real diretamente do Centro de Controle Operacional (CCO) da concessionária e das Salas de Supervisão Operacional (SSOs) de cada estação.

Tecnologia

A utilização do CBTC (Communications-Based Train Control) – no português Controle de Trens Baseado em Comunicação – sistema de sinalização mais seguro do mundo para controlar a circulação de trens do SMSL é a prova de que a tecnologia está a favor da mobilidade urbana. O CBTC garante a operação com falha segura, aquela que não oferece riscos a clientes e colaboradores, e ainda permite a utilização de diversos níveis de automação.

No metrô baiano tudo funciona no modo automático e a principal função do operador de trem é observar durante o trajeto a presença de pessoas e obstáculos na via, e aplicar freio, em caso de emergências, além de monitorar as câmeras do interior dos trens. Unindo o sistema de sinalização e o moderno Centro de Controle Operacional (CCO) da CCR Metrô Bahia, tem-se um modal metroviário altamente tecnológico, que prioriza a segurança de clientes, colaboradores e do patrimônio público.

Nos dias úteis são ofertados, aproximadamente, 984.000 lugares, número que equivale a mais de 1/3 da população total da capital baiana

Direto do centro de controle, através de um videowall de 44 telas LCD de 55 polegadas e de consoles, é possível gerenciar os sistemas de circulação de trens, de energia, de ventilação, fluxo de clientes, segurança pública operacional, bloqueios de entrada e saída, detecção, combate a incêndio e outros. O trabalho é realizado 24 horas por dia, 7 dias por semana, por 33 profissionais que se revezam em turnos.

O sistema de monitoramento eletrônico de circuito fechado de TV, permite ainda gravar, exibir, recuperar e processar as imagens obtidas a partir das câmeras de vídeo distribuídas em todo o sistema. Algumas dessas câmeras também são integradas ao Centro de Informação e Comunicação (CICOM), da Secretaria de Segurança Pública (SSP).Instalado no Pátio Pirajá, o CCO faz o monitoramento e centraliza todas as informações relacionadas à operação. O local recebe imagens, em tempo real, de mais de 2 mil câmeras distribuídas em todo o sistema. Cada trem possui 22 câmeras embarcadas, sendo dezesseis câmeras para monitoramento do interior dos carros, além de duas câmeras externas, na frente e na traseira, para visualização da via e das estações, e mais duas câmeras no interior das cabines de comando.

Sustentabilidade

O sistema metroviário baiano segue os princípios da sustentabilidade e é movido a energia elétrica limpa e renovável, sem emissões de CO² não poluente e contribui para a redução do número de automóveis e ônibus nas ruas. O conceito sustentável também foi aplicado durante a implantação do modal. As obras no canteiro central da Avenida Paralela obedeceram rigorosamente às exigências da lei, com licença ambiental expedida pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema).

O sistema metroviário baiano segue os princípios da sustentabilidade e é movido a energia elétrica limpa e renovável

Na avenida, a concessionária fez o plantio de cerca de 6.000 espécies como Ipês variados, Ingá, Pau-ferro, Pau-Brasil, Aroeira, Gameleira, Jacarandá-da-Bahia, Cedro, Syagrus, Palmito-Jussara, Açaí, Coqueiro, Babaçu, Dendezeiro e outras. Além da doação e plantio de mais de 2 mil coqueiros e árvores nativas, e transplantio de 500 outras. As lagoas Imbuí e Flamboyant, que são bolsões de retenção de água da chuva, foram totalmente recuperadas com vegetação nas margens, plantas aquáticas e restauro de toda a área.

O projeto paisagístico e urbanístico da Avenida Paralela criou um corredor verde com três vezes mais árvores que antes das obras e contemplou a construção de uma ciclovia e pista de caminhada de 12 km. Assim, os clientes também podem integrar o metrô com a bicicleta, utilizando os 17 bicicletários instalados nas estações, com acesso gratuito.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

cinco × 3 =