Vestas fecha a venda de 86 turbinas para parque eólico na Bahia

O pedido foi feito pela Engie Brasil, maior produtora privada de energia do Brasil (Foto: Divulgação)

A Vestas recebeu um pedido de 361 MW para fornecer e instalar 86 turbinas eólicas V150-4.2 MW para o parque eólico da Fase 2 de Campo Largo, localizados nos municípios de Sento Sé e Umburanas, na  Bahia. O pedido foi feito pela Engie Brasil, maior produtora privada de energia do Brasil.

“Este primeiro projeto da Vestas no Brasil é um marco importante para as duas empresas, pois contribui para consolidar nossa parceria mundial e também é o maior projeto eólico da Engie no país. Este novo modelo de turbina eólica da Vestas ajustou o perfil do vento do projeto e nos ajudou criar um projeto competitivo para o mercado livre de energia do Brasil”, diz o CEO da Engie Brasil Energia, Eduardo Sattamini.

A entrega de turbinas deve começar no segundo trimestre de 2020, enquanto o comissionamento está previsto para o primeiro trimestre de 2021. As 86 turbinas eólicas do projeto serão produzidas localmente de acordo com as regras do Finame II do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES). As naceles serão fabricadas nas instalações da Vestas, no Estado do Ceará, e as pás e torres também serão produzidas no país.

Mercado livre

A energia produzida será dedicada principalmente aos consumidores do mercado livre de energia do Brasil, destacando a crescente competitividade da energia eólica no Brasil.

“Estamos muito orgulhosos de trabalhar com a Engie no Brasil e esperamos que este contrato estabeleça a base para mais negócios entre as duas empresas no futuro. Como a maior empresa privada de geração de energia do país, eles se beneficiarão da tecnologia avançada de nossa plataforma de 4 MW, que se mostrou bastante competitiva no recente leilão do Brasil. O pedido também é uma grande conquista para nós. Consolida a posição de liderança da Vestas no mercado brasileiro e ilustra a forte adequação do V150-4.2 MW às condições de vento do Brasil ”, destaca Rogério S. Zampronha, diretor geral da Vestas para o Brasil e o sul da América Latina.

O grande diâmetro do rotor do V150-4.2 MW aumenta a área de varredura e permite uma produção de energia significativamente aprimorada, resultando em um business case aprimorado nas áreas de baixo vento do Brasil.

Desde que a Vestas anunciou a expansão de sua capacidade de produção no Brasil em outubro de 2018, a empresa recebeu 613 MW de pedidos para sua principal turbina eólica terrestre.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

seis + 11 =