Projeto de expansão da Vanádio de Maracás será concluído em julho

A capacidade de produção da unidade terá um aumento de 37% a partir de 2020 (Fotos: Carla Ornelas/GOVBA)

Iniciado em julho de 2018, o projeto de expansão da mineradora Vanádio de Maracás – que se concentra no aumento da capacidade de produção das áreas de moagem, fusão, lixiviação e filtragem – deverá ser concluído e entregue até o próximo mês de julho. Com o projeto, que representa um investimento de US$ 16 milhões, a capacidade de produção da unidade terá um aumento de 25%, passando das atuais 800 toneladas/mês para 1.000 toneladas/mês. A empresa  estima abrir mais 200 novos postos de trabalho para dar conta dessa fase de crescimento.

A atual unidade registra recordes de produção sucessivos que representam um bom momento operacional e de alta confiabilidade. No ano passado, a empresa – controlada pelo grupo canadense Largo Resources e com sede na Fazenda Conrado, no município de Maracás (BA)–  atingiu uma  produção recorde de 9.830 toneladas de pentóxido de vanádio, o que representa 102% da capacidade de produção atual da empresa. Em relação a 2017, foram 533 toneladas a mais ou alta 6%. Melhor: após fechar 2017 com prejuízo de R$14,434 milhões, a mineradora obteve, em 2018, um lucro líquido de R$892,698 milhões.

O mercado também está aquecido e o valor do pentóxido de vanádio, que chegou a ser cotado a US$ 2,38 a libra-peso no final de 2015, experimenta um período de forte recuperação, cotado pelo mercado europeu no mês de outubro no valor médio de US$ 24.50 a libra-peso. Com demanda em alta e estoques mundiais em baixa, a estimativa é que o mercado permaneça atrativo.

A reserva da mina de Maracás da canadense Largo Resources possui um importante diferencial competitivo: a alta concentração de vanádio

O vanádio é um minério usado na produção do pentóxido de vanádio que, por sua vez, é utilizado na produção de ferro-vanádio, matéria-prima empregada na fabricação de ligas de aço e alumínio, além de baterias. Esses materiais têm aplicações estratégicas nas indústrias automobilística, de construção civil e plataformas petrolíferas.

A reserva da mina de Maracás da Largo Resources possui um importante diferencial competitivo: a alta concentração de vanádio, que é duas vezes maior que a encontrada nas minas da África do Sul, maior produtor mundial. A planta de Maracás representa de 8 a 10% do que é produzido no mundo.

O projeto

Com uma história de 58 anos de atuação nos mercados nacional e internacional, a Promon Engenharia é a empresa responsável pela obra de expansão de mineradora. Segundo Carlos Pingarilho, diretor-presidente da Promon , a conquista fortalece o posicionamento da empresa no mercado de mineração e expressa o reconhecimento de sua expertise e excelência no desenvolvimento de projetos no setor. “É uma honra voltar a trabalhar com uma empresa internacional de referência como a Largo Resources. Juntos, já havíamos concretizado um dos mais importantes projetos de mineração lançados no Brasil e no mundo em período recente. Agora, estamos prontos para elevá-lo a outro patamar”, afirma Pingarilho.

Para o executivo Luciano Chaves, VP de Finanças e Administração da Largo Resources e CFO Brasil, os bons resultados do primeiro projeto motivaram o fechamento do novo contrato. “A Promon se juntou à Largo na fase inicial da Vanádio de Maracás e atuou em todas as etapas, desde a engenharia conceitual, básica e detalhada, suprimentos e gerenciamento da construção. Foi uma parceria muito importante para nós. O trabalho excepcional realizado pela Promon nos fez procurá-la novamente para nos apoiar também na fase de expansão”, explica.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

vinte + 1 =