Lucro líquido da Ferbasa tem crescimento de 14,4% em 2018

A Ferbasa  exerce atividades nas áreas de mineração, metalurgia, geração de energia elétrica renovável e produção florestal

A Companhia de Ferro Ligas da Bahia (Ferbasa) – líder em produção de ferroligas e única produtora integrada de ferrocromo das Américas – encerrou o exercício de 2018 com um lucro líquido de R$ 309,2 milhões, o que representa uma alta de 14,4% em relação ao ano anterior (R$ 270,3 milhões). Já a receita líquida de vendas da empresa atingiu R$ 1.381,1 bilhão – crescimento de 24,6% em relação a 2017. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira pela empresa.

O grupo baiano atribui o  resultado de 2018, dentre outros fatores,  a alta do dólar, o bom desempenho operacional e a participação do ganho com compra vantajosa, fruto do processo de aquisição do parque eólico BW Guirapá, que contribuiu com R$ 49,6 milhões no lucro líquido após a contabilização do IRPJ/CSLL.

De acordo com o balanço, em 2018, a produção de ferroligas foi 11,6% superior à registrada em 2017, com destaque para as ligas de silício, alavancadas em 37% no período. O crescimento foi possível graças a uma condição mais favorável na demanda
desse material em relação às ligas de cromo.

A taxa de utilização da capacidade instalada,  em 2018, foi de 74,4%, ante aos 64,1% alcançados no exercício anterior. “É importante evidenciar que a utilização plena da capacidade instaladaé afetada por fatores como: a decisão de não operar no horário de ponta (das 18h às 21h), devido ao custo bastante superior da energia elétrica neste período; paradas para manutenção; e necessária redução de potência em alguns fornos para a produção de materiais específicos”, disse a empresa.

Vendas

Já o  volume total das vendas registrou um aumento de 6,8% comparado a 2017. O resultado é fruto principalmente do aquecimento do mercado de ferrossilício no 1º semestre de 2018. Adicionalmente, a Ferbasa  alavancou em 54,2% o volume de vendas do produto exportado em relação ao ano anterior, refletindo os esforços da companhia para elevar sua participação no mercado internacional e minimizar as dificuldades que ainda afetam o mercado siderúrgico brasileiro.

“Para o ano de 2019, especificamente no primeiro semestre, a Companhia enfrentará o desafio de comercializar seus produtos mediante um cenário de preços que tendem a uma redução no mercado internacional. Diante deste contexto, a Ferbasa continuará concentrando esforços em ações que auxiliem na diminuição dos custos operacionais, com o objetivo de manter sua competitividade no mercado”, diz a empresa. “Em contrapartida, há perspectivas positivas relacionadas ao desenvolvimento do mercado brasileiro de aciaria e fundição, alinhado aos avanços nos indicadores econômicos que já vêm sendo  apresentados e que são previstos para o ano vigente”.

A Ferbasa  exerce atividades nas áreas de mineração, metalurgia, geração de energia elétrica renovável e produção florestal. Única produtora integrada de ferrocromo das Américas,  possui como principais produtos de seu portfólio as ligas de ferrocromo alto carbono (FeCrAC), ferrocromo baixo carbono (FeCrBC), ferrossilício (FeSi75) e ferrossilício cromo (FeSiCr), destinadas, principalmente, ao setor siderúrgico, à produção de aços inoxidáveis e especiais.

A companhia também é detentora de mais de 95% das reservas brasileiras de cromita, principal matériaprima utilizada na fabricação das ligas de ferrocromo, contando com dois grupamentos mineiros situados na região Centro-Norte da Bahia: a mina de Pedrinhas, em Campo Formoso, onde a Ferbasa iniciou as suas  atividades, funciona até os dias atuais com o método de lavra a céu aberto; e a mina de Ipueira, situada no município de Andorinha, cujas atividades foram iniciadas em 1973 e atualmente opera com lavra subterrânea, sendo considerada uma das minas mais modernas do país em termos de tecnologia e segurança.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

17 + 12 =