Fábrica de Startups e Banco BoCom BBM desenvolvem escritório inteligente

A maratona de inovação começou em um hackeng dentro da Semana de Engenharia da PUC em agosto (Foto: Divulgação)

A aceleradora Fábrica de Startups e o Banco BoCom BBM estão trabalhando na concepção de novas soluções no mercado financeiro. Quatro estudantes das áreas de tecnologia e engenharia e dois funcionários do banco estão recebendo mentoria para o desenvolvimento de escritórios inteligentes no programa Summer Bootcamp.

A maratona de inovação começou em um hackeng dentro da Semana de Engenharia da PUC-Rio em agosto de 2018. O banco participou oferecendo vaga aos estudantes para a mentoria para o desenvolvimento do escritório digital, que agora será finalizada na Fábrica de Startups com a apresentação da viabilidade do modelo de negócio.

O escritório inteligente terá a proposta de oferecer aos funcionários todas as funcionalidades que a tecnologia permite para garantir condições de produtividade, eficiência e redução de custos. “Propomos ao time buscar soluções inovadoras no tema de escritórios inteligentes, não só por entender que havia sinergia com o tema da Hackeng, mas também por termos uma visão de que investir em tecnologia pode apoiar o banco não só aumentar nossa produtividade como instituição do mercado financeiro, mas também nos processos do dia a dia visando a organização e nossos funcionários”, explica Carlos Jourdan, CTO do BoCom BBM.

O escritório inteligente terá a missão de criar ambientes planejados para acompanhar a expansão da instituição financeira – em 2015 o BOCOM comprou 80% do Banco da Bahia. “Nesse sentido, pensamos em soluções que possam melhorar processos que impactam desde prover alternativas de alimentação saudável para nossos funcionários, até o acesso a salas reservadas para a realização de reuniões internas ou receber cliente com o maior conforto possível”, detalha o CTO.

Modelo de negócio

A solução foi desenvolvida no período de seis semanas, sendo que em três focadas no entendimento do problema e elaboração do modelo de negócio. “Nas últimas três semanas foram focadas no desenvolvimento e implantação da solução. O grupo atendeu à todos os encontros e se mostrou empenhado em utilizar a metodologia para desenhar o projeto”, analise o CEO da Fábrica de Startups Brasil, Hector Gusmão.

Após a apresentação do MVP (produto mínimo viável), a expectativa é de que a solução desenvolvida seja aplicada em todos os ambientes do banco e que ganhe tração com os potenciais usuários identificados. “Apesar do desafio estar ligado ao novo escritório, a solução já vai ser implantada no espaço atual”, projeta Hector Gusmão.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

1 × 2 =