Abate de frangos e aquisição de leite foram recordes na Bahia em 2018

Foi o quarto crescimento anual consecutivo no abate de frangos no estado, informa o IBGE

No ano passado, o abate de frangos seguiu em alta no estado, crescendo 6,6% (Foto Jonas Oliveira)

O abate de frangos  no ano passado cresceu mais uma vez na Bahia (6%) e bateu novamente seu próprio recorde, chegando a um total de 114,2 milhões de animais abatidos, cerca de 6,5 milhões a mais do que no ano anterior. Foi o quarto crescimento anual consecutivo no abate de frangos no estado e o quarto maior aumento do país em termos absolutos (número de cabeças). Os dados são da Pesquisas Trimestrais da Pecuária, divulgadas ontem pelo IBGE.

Em 2018, o desempenho do abate de frangos no Brasil como um todo foi no sentido contrário e caiu 2,5%, segunda retração consecutiva. Foram abatidas 5,70 bilhões de cabeças de frango, 144,23 milhões a menos que em 2017. O Paraná continua o líder no abate de frangos, com 31,4% de participação nacional. A produção baiana representa 2,0% do total, com um leve crescimento em relação a 2017, quando o estado respondia por 1,8%.

A aquisição de leite foi outro recorde da produção pecuária da Bahia, em 2018. No ano passado, ela cresceu novamente de forma significativa (18,6%) e chegou a 427,7 milhões litros captados pelos estabelecimentos de laticínios sob algum tipo de inspeção sanitária no estado, 67 milhões a mais que em 2017.

Na comparação com 2017, também foram abatidos mais bovinos (+1,3%) e suínos (+3,0%) no estado

Foi o segundo resultado positivo consecutivo para a aquisição de leite na Bahia e o terceiro maior aumento absoluto (em litros) dentre os estados produtores.

No país como um todo, foram captados 24,45 bilhões de litros, um acréscimo de 0,5% em relação a 2017, mantendo certa estabilidade de um ano para o outro.

Minas Gerais mantém sua ampla liderança na produção nacional de leite, com 24,8% do total captado. A Bahia respondeu, no ano passado, por 1,7% do leite adquirido no país, um pouco mais do que em 2017 (1,5%).

Abates de bovinos e suínos também cresceram

Em 2018, foram abatidas, na Bahia, cerca de 1,2 milhão de cabeças de bovinos, um aumento de 1,3% em relação a 2017, que representou mais 15,7 mil animais abatidos. Foi o segundo crescimento anual no abate de bovinos no estado.

No país como um todo, a situação foi bem parecida. No ano passado, foram abatidas 31,90 milhões de cabeças de bovinos, um aumento de 3,4% (1,03 milhão de cabeças) em relação a 2017. Também foi a segunda alta consecutiva. Mato Grosso continuou liderando o ranking do abate de bovinos em 2018, com 16,8% da participação nacional. A Bahia ficou com 3,7% de participação, frente a 3,8% em 2017.

 Por outro lado, produção de ovos de galinha teve queda (-1,4%)

O abate de suínos também cresceu na Bahia (3%), chegando a 133,3 mil animais abatidos em 2018, 3,9 mil a mais que em 2017. No país como um todo, em 2018, foram abatidas 44,20 milhões de cabeças de suínos, um aumento de 2,4% (1,02 milhão de cabeças) em relação a 2017, representando um novo recorde na série.

Santa Catarina manteve a liderança no abate de suínos, com 26,2% do abate nacional em 2018. A Bahia representa apenas 0,3% do total.

Produção baiana de ovos de galinha tem queda

Depois de ter crescido em 2017, a produção baiana de ovos de galinha voltou a cair em 2018 (-1,4%), totalizando 45,9 milhões de dúzias no ano passado (-674 mil dúzias).

Em 2018, a produção nacional de ovos de galinha foi de 3,60 bilhões de dúzias, representando aumento de 8,6% em relação ao ano anterior e um novo recorde na série anual.

Responsável por 29,4% do total, São Paulo é o líder na produção nacional de ovos de galinha. A Bahia respondeu por 1,3% do total em 2018, frente a 1,4% em 2017.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

16 − 12 =