Braskem inaugura laboratório de solventes no Polo do ABC

Pelo acordo, a Braskem se compromete a comprar energia do projeto da EDF Renewables por 20 anos em um contrato estimado em aproximadamente R$ 400 milhões

A Braskem anuncia a inauguração de seu primeiro laboratório de solventes, que passa a funcionar na planta da empresa no Polo Petroquímico do ABC a partir de novembro. O objetivo é aprimorar a entrega de soluções desenvolvidas de acordo com a necessidade de cada cliente, reforçando inovações e atuando com equipe especializada.

Para isso, a Braskem vem investindo na aquisição de novos equipamentos, contratações e treinamento de colaboradores desde o início do ano. Uma das novidades do novo laboratório é um software que simula a solubilidade de um solvente antes da aplicação final, otimizando tempo e gastos desnecessários e agilizando o desenvolvimento de novas fórmulas.

Com vasta experiência no mercado, o consultor técnico Carlos Tomassini, também integra a equipe e explica que o laboratório de solventes da Braskem é um dos poucos da América Latina que está apto a fazer a determinação dos parâmetros de solubilidade de uma substância, que podem ser resinas, polímeros, princípios ativos agroquímicos, ou qualquer outro produto que necessite ser solubilizado por solventes. “Desta forma, conseguimos levar um trabalho completo para os clientes, não apenas nos estudos de solubilização, mas também de performance na aplicação”, afirma.

“Os últimos lançamentos demonstram nosso crescimento neste mercado. Agora, com a inauguração do laboratório exclusivo para o tema, conseguimos desenvolver soluções específicas de solventes de acordo com as necessidades de nossos atuais e futuros clientes, seja para utilização em tintas e adesivos neste primeiro momento, como em outros setores, como agro, em um futuro próximo”, explica Cláudia Madrid, responsável comercial pelo Negócio de Solventes da Braskem.

Um exemplo de produtos já desenvolvidos é o solvente oxigenado da família dos éteres, composto orgânico produzido pela Braskem no Polo Petroquímico de Camaçari, na Bahia, a partir de corrente petroquímica e de etanol. Sua matéria prima é composta 33% por carbono de origem renovável, pois 47% da sua composição provém do etanol, feito a partir da cana-de-açúcar. “Foi por meio de pesquisas internas que descobrimos como criar este solvente parcialmente de fonte renovável. Além disso, nosso produto traz mais opções aos clientes, pois suas características, aliadas à tecnologia do laboratório, permitem entregar algo diferenciado e inovador”, afirma Cláudia.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

quatro × 1 =